Cotidiano

Há 14 anos, terreno sujo é transtorno para condomínio e vizinhos enfrentam calvário por limpeza

Local é habitado por animais peçonhentos, usuários e tem sido foco de incêndio constante

Renan Nucci Publicado em 07/12/2021, às 08h01

None
Foto Ilustrativa

Moradores do Condomínio Residencial Apoena Meireles, localizado na região do bairro Coronel Antonino, em Campo Grande, sofrem com um terreno abandonado aos fundos do empreendimento. Sempre sujo, o lote é habitado por animais peçonhentos que oferecem risco à vizinhança, bem como é frequentado por usuários de entorpecentes. Além disso, tem sido constante foco de incêndios em vegetação, o que agrava ainda mais a situação.

Por este motivo, os moradores acionaram o MPMS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul) em busca de uma solução, já que alegam que o espaço foi abandonado pelo proprietário, assim como pelo poder público. Neste sentido, alegam que o imóvel vem trazendo ‘prejuízos imensuráveis’ para a saúde da vizinhança. Afirmam que, em 2019, acionaram a Prefeitura para uma limpeza, em razão da presença de mato, ratos e insetos.

Os problemas são enfrentados desde 2007, mas jamais houve solução definitiva. Em julho deste ano, por exemplo, um incêndio de grande proporção atingiu o local, levando problemas de saúde aos moradores do condomínio, especialmente de ordem respiratória. Eles esperam que o MPMS cobre providências do proprietário ou do município, para que seja feita a limpeza e manutenção regular, a fim de que sejam minimizados os impactos.

Nesta terça-feira (7), foi publicado no Diário Oficial do MPMS a abertura de procedimento administrativo para apurar o ocorrido. O procedimento está sob cuidados da promotora Luz Marina Borges Maciel Pinheiro, da 26ª Promotoria de Justiça do Meio Ambiente, Patrimônio Histórico e Cultural, Habitação e Urbanismo da Comarca. O objetivo é: “Apurar as providências adotadas pelo Município de Campo Grande, com base no poder de polícia administrativa, em face do proprietário do terreno [...] relativas à adoção das providências necessárias para mantê-lo em condições higiênico-sanitárias satisfatórias”.

Jornal Midiamax