Cotidiano

Feira de empregos atrai mais de 500 jovens para 60 vagas e exige paciência para enfrentar longas filas

Na fila desde às 9h da manhã, mães reclamam da frustração dos filhos que acabaram ficando por horas na fila em busca de oportunidade do primeiro emprego na Ação de Empregabilidade para Jovem Aprendiz, nesta sexta-feira (19), em Campo Grande. Mais de 500 jovens enfrentaram a fila para disputar 60 vagas para redes de atacadistas. […]

Karina Campos Publicado em 19/02/2021, às 16h00 - Atualizado às 17h41

Mães também reclamam que filhos ficaram sem almoçar esperando na fila. (Foto: Leitor Midiamax)
Mães também reclamam que filhos ficaram sem almoçar esperando na fila. (Foto: Leitor Midiamax) - Mães também reclamam que filhos ficaram sem almoçar esperando na fila. (Foto: Leitor Midiamax)

Na fila desde às 9h da manhã, mães reclamam da frustração dos filhos que acabaram ficando por horas na fila em busca de oportunidade do primeiro emprego na Ação de Empregabilidade para Jovem Aprendiz, nesta sexta-feira (19), em Campo Grande. Mais de 500 jovens enfrentaram a fila para disputar 60 vagas para redes de atacadistas.

Segundo uma das mães, que preferiu não se identificar, sua filha chegou cedo para o processo seletivo, mas horas depois, ainda não tinha sido atendida. “Acho esse tipo de feira muito bom, porém desumano. Tantos jovens que vieram despreparados, sem saber que terá que passar o dia. Alguns ainda desistiram porque não trouxeram alimento”, relata.

Um pai comenta que ainda orientou o filho a levar uma garrafa de água acreditando que todo o processo poderia durar no máximo 3 horas. “Ele chegou por volta das 9h. Já era 11h e ele mandou mensagem dizendo que a fila estava imensa, mas que não iria sair, eu estava no trabalho e não ia conseguir sair para levar, pelo menos, alguma coisa para comer e disse que ele poderia pedir comida por aplicativo”, lamenta.

Feira de empregos atrai mais de 500 jovens para 60 vagas e exige paciência para enfrentar longas filas
Mãe reclama de jovens por horas na fila e sol. (Foto: Leitor Midiamax)

Outra, que também preferiu o anonimato, disse que o ideal seria a distribuição de senhas ou orientação aos que chegam na fila sobre a demora. Ela conta que até a tarde desta sexta, a fila virava o quarteirão e a entrada do local. “Adolescentes estão desde cedo sem almoço, no sol, aglomerados nesse calor. Falei com o responsável pelo RH, mas ele disse que é assim mesmo, que não tinha como prever (número da demanda)”, reclama.

Organizando feiras de empregabilidade na Capital desde 2017, Carlos Roboton, explica que já esperava o grande número de pessoas. Havia realizando uma feira na semana passada onde também atraiu jovens na busca por emprego. Ele ressalta que o evento foi extremamente cuidadoso e planejado com aferição de temperatura, disponibilização de máscaras e álcool em gel nas entradas.

“O volume de pessoas de hoje é um termômetro de como está o mercado de trabalho, para que saibamos que existe uma grande massa de jovens em busca da primeira colocação no mercado de trabalho. O mercado também quer candidatos e também procura pelos melhores. Pais que reclamam vai acontecer, mas prefiro dar ouvidos aos jovens que disseram ‘tem só 59 vagas, porque uma já é minha’, a empresa que precisa contratar urgentemente e aos voluntários que vieram desde às 7h. A realidade é a concorrência.”, ressaltou

O processo seletivo aconteceu na Faculdade Estácio de Sá, das 9 horas às 17 horas e conta com apoio do Ministério Público do Trabalho, da Amas (Associação Sul-Mato-Grossense de Supermercadistas), da Faculdade Estácio de Sá, da Prefeitura Municipal de Campo Grande e da CDL (Câmara dos Dirigentes Lojistas), com expectativa de proporcionar aos jovem a inserção no mercado de trabalho por meio do primeiro emprego.

*Material atualizado com acréscimo de informações às 17h42.

Jornal Midiamax