Diversas escolas particulares de deverão explicar os motivos que as levaram a aumentar as mensalidades para o ano letivo de 2022 com valores que superam a inflação. As notificações foram realizadas pelo Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor).

De acordo com o superintendente do órgão, Marcelo Salomão, a legislação considera abusiva a elevação de preços de produtos ou serviços sem a devida explicação. “Queremos saber o motivo que as escolas subiram a mensalidade com índices superiores à inflação”, disse.

Um levantamento realizado pelo órgão mostrou que alguns estabelecimentos reajustaram os valores em até 32,86% no comparativo entre os anos de 2020 e 2021, ficando acima da inflação que foi de 10,74%.

As escolas deverão apresentar planilhas de custos e documentos que demonstrem a inexistência de eventual prática abusiva no reajuste das mensalidades escolares. Os estabelecimentos notificados foram o Colégio Cecamp, Colégio Impacto, Colégio Nota 10 (Unidade Feliz Idade), Colégio Vida e Luz, Atual, Escola Energia, Escola Elite Mace e Escola Mont Geant.