Comerciantes de , a 70 quilômetros de Campo Grande, organizam um protesto, nesta segunda-feira (29), contra os decretos do Governo do Estado que limitam o funcionamento do , como medidas para frear a transmissão da .

“Nós queremos trabalhar, queremos respeito com nosso comércio. Desde o começo respeitamos as normas de saúde”, relata a organização. Pelas redes sociais, o grupo organiza a concentração na Rua Aquidauana, região central da cidade.

Mais protestos

Depois que o Governo do Estado alterou decreto e ampliou toque de recolher, setores decidiram fazer uma carreata na manhã da última quinta-feira (25) em Campo Grande. Com as restrições durante a pandemia, comerciantes e motoristas de aplicativo pedem a redução do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços). Donos de academias também participam da manifestação e pedem que estabelecimentos sejam considerados essenciais.

O grupo se reuniu no estacionamento do Yotedy e deve seguiu em carreata rumo à Governadoria e, em seguida, à Prefeitura de Campo Grande. Participam do movimento a AAMS (Associação de Academias de ), a CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) e motoristas de aplicativo.