Cotidiano

Com pouco mais de mil inscritos, número de detentos interessados no Enem diminui 10% em MS

As provas do Enem PPL têm o mesmo nível de dificuldade do Enem regular, a diferença é o local de aplicação

Mylena Rocha Publicado em 17/10/2021, às 07h34

Em MS, foram 1.061 reeducandos inscritos no exame.
Em MS, foram 1.061 reeducandos inscritos no exame. - Divulgação/Agepen

Mais de mil detentos estão inscritos no Enem para PPL (Pessoas Privadas de Liberdade) em Mato Grosso do Sul. A prova pode representar uma nova chance de vida para os reeducandos e está prevista para acontecer entre os dias 9 e 16 de janeiro de 2022.

Dados da Divisão de Assistência Educacional da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) apontam que foram 1.061 reeducandos inscritos no exame. O número representa uma queda em relação ao ano passado, equivalente a 10%.

No ano anterior, eram 1.181 homens e mulheres custodiados pela Agepen inscritos para o Enem PPL. A prova aconteceu em fevereiro deste ano. A Agência ainda frisa que, nos próximos dias 13 e 14 de outubro, ocorrerão as provas do Encceja (Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos), que contou com 2.096 inscritos no Estado.

O que é Enem PPL?

O Enem para Pessoas Privadas de Liberdade avalia o desempenho de quem já concluiu o ensino médio e permite o acesso ao ensino superior, com programas como o Sisu (Sistema de Seleção Unificada), Prouni (Programa Universidade para Todos) e Fies (Fundo de Financiamento Estudantil).

O exame é aplicado pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), em parceria com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, por meio do Depen (Departamento Penitenciário Nacional). As provas do Enem PPL têm o mesmo nível de dificuldade do Enem regular. A única diferença é a aplicação, que acontece dentro de unidades prisionais e socioeducativas indicadas pelos respectivos órgãos de administração prisional e socioeducativa.

Jornal Midiamax