Cotidiano

Com ocupação em 98%, MS tem 5 cidades sem vagas e 4 em alerta para leitos de UTI

Ocupação de leitos UTI (Unidade de Terapia Intensiva) exclusivos para pacientes Covid-19 chegou a 98,23% nesta segunda-feira (08) em Mato Grosso do Sul. Os dados constam no Painel Mais Saúde, mantido pela SES (Secretaria Estadual de Saúde). Na relação total de leitos UTI, que abrange as vagas para os demais casos, o Estado conta com […]

Gabriel Maymone Publicado em 08/03/2021, às 08h47 - Atualizado às 09h02

Fundo Especial de Saúde deve receber recurso para combate à Covid-19. (Divulgação)
Fundo Especial de Saúde deve receber recurso para combate à Covid-19. (Divulgação) - Fundo Especial de Saúde deve receber recurso para combate à Covid-19. (Divulgação)

Ocupação de leitos UTI (Unidade de Terapia Intensiva) exclusivos para pacientes Covid-19 chegou a 98,23% nesta segunda-feira (08) em Mato Grosso do Sul. Os dados constam no Painel Mais Saúde, mantido pela SES (Secretaria Estadual de Saúde).

Na relação total de leitos UTI, que abrange as vagas para os demais casos, o Estado conta com taxa de ocupação de 87,9%. O sistema informa que são 844 leitos UTI em MS, sendo 396 exclusivos para pacientes Covid-19.

Assim, pelo menos três regiões do Estado estão sem novas vagas disponíveis em UTIs: Jardim, que conta apenas com 6 leitos, Ponta Porã, que tem 30 leitos críticos e Naviraí, que conta com 10 vagas.

Outras cidades que também estão sem vagas são: Paranaíba e Sidrolândia. Em situação crítica está Campo Grande (92%). Já em alerta estão os municípios de Dourados (83%), Aparecida do Taboado (80%) e Chapadão do Sul (80%).

Novos leitos

Campo Grande ativou este fim de semana 7 leitos UTI na Clínica Campo Grande, que passa a contar com 12 leitos de UTI exclusivos para atendimento SUS. Foram cedidos oito respiradores pelo município e seis monitores pelo Governo do Estado para viabilizar o funcionamento dos leitos.

Atualmente o município conta com 285 leitos de UTI contratualizados na rede pública, filantrópica e particular para atendimento de pacientes críticos. A Prefeitura deve intensificar as tratativas com hospitais para viabilizar a abertura de novos leitos.

Jornal Midiamax