Cotidiano

Com duas vagas em MS, SED define cidade para ter escola cívico-militar em 2021

Planejamento do Ministério da Educação prevê abertura de duas escolas cívico-militares em Mato Grosso do Sul em 2021. Uma delas deverá ser a Escola Estadual Arlindo Neckel, em Chapadão do Sul, distante 330 km de Campo Grande. A secretária estadual de educação, Maria Cecília Amendola Mota, esteve no município na segunda-feira (25) para conhecer as […]

Gabriel Maymone Publicado em 26/01/2021, às 11h29

Secretária de educação de MS visitou escola que deve virar cívico-militar em Chapadão do Sul. (Foto: Divulgação)
Secretária de educação de MS visitou escola que deve virar cívico-militar em Chapadão do Sul. (Foto: Divulgação) - Secretária de educação de MS visitou escola que deve virar cívico-militar em Chapadão do Sul. (Foto: Divulgação)

Planejamento do Ministério da Educação prevê abertura de duas escolas cívico-militares em Mato Grosso do Sul em 2021. Uma delas deverá ser a Escola Estadual Arlindo Neckel, em Chapadão do Sul, distante 330 km de Campo Grande.

A secretária estadual de educação, Maria Cecília Amendola Mota, esteve no município na segunda-feira (25) para conhecer as instalações da escola. Para confirmar a implementação do projeto, faltam apenas detalhes técnicos junto ao Governo Federal. Após, as matrículas serão realizadas via Governo do Estado, e o município entrará com cedência de funcionários, além da capacitação e formação dos profissionais.

Escolas cívico-militares em MS

O Ministério da Educação prevê ainda  a implantação de outra escola cívico-militar em MS, mas não foi definida qual unidade será contemplada pelo projeto. Campo Grande já conta com duas escolas neste modelo.

Com duas vagas em MS, SED define cidade para ter escola cívico-militar em 2021
(Foto Ilustrativa: Marcos Ermínio)

Para participar do programa, as escolas devem ter entre 501 a mil matrículas nos anos finais do Ensino Fundamental e Médio; atender aos turnos matutino e/ou vespertino; ter alunos em situação de vulnerabilidade social; desempenho abaixo da média estadual no Ideb, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica; e contar com a aprovação da comunidade escolar, por meio de consulta pública presencial ou eletrônica.

Quando anunciado, em 2019, o programa previa 200 escolas neste modelo até 2023. Então, ano passado, mais de 50 escolas aderiram ao piloto do programa. Em Campo Grande, a Escola Estadual Alberto Elpídio Ferreira Dias – Prof. Tito, no Jardim Anache, e a Escola Estadual Marçal de Souza, no Jardim Los Angeles, foram escolhidas para o novo modelo e começaram o período letivo neste ano.

O modelo cívico-militar é diferente do modelo das escolas militares mantidas pelas Forças Armadas. De acordo com o MEC, as Secretarias estaduais de Educação continuariam responsáveis pelos currículos escolares e caberia aos militares a atuação como monitores na gestão educacional.

Jornal Midiamax