Cotidiano

Com colapso na saúde, MS tem 40 mortes e chega a 314 mil casos confirmados de covid

Secretário de saúde disse que Estado não tem mais leitos disponíveis

Gabriel Maymone Publicado em 14/06/2021, às 11h19

Centro de Campo Grande no 1º dia útil do decreto estadual com restrições ao comércio
Centro de Campo Grande no 1º dia útil do decreto estadual com restrições ao comércio - Marcos Ermínio / Midiamax

Com a saúde em colapso - sem leitos disponíveis em hospitais, Mato Grosso do Sul registrou 40 mortes por covid nas últimas 24 horas e chegou a 7.517 óbitos pela doença. O boletim desta segunda-feira (14) confirmou 915 novos casos e fez com que o Estado chegasse a 314.445 contaminados pelo coronavírus.

Conforme o boletim, a média móvel de mortes em 7 dias caiu em uma semana, passando de 52,9 mortes em média por dia em 7 de junho para 47,4 nesta segunda-feira. 

Os municípios que mais tiveram mortes confirmadas nesta segunda-feira foram: Campo Grande (21), Naviraí (3), Coronel Sapucaia e Três Lagoas (2 cada).

De acordo com a secretária-adjunta da saúde em MS, Christinne Maymone, a semana epidemiológica que se encerrou no sábado (12) foi a 2ª com maior número de casos e mortes da pandemia. Foram 13.086 casos confirmados da doença e 367 óbitos.

Internações

O secretário de saúde, Geraldo Resende, reforçou que MS não tem leitos disponíveis em hospitais e anunciou que todas as regiões do Estado estão com ocupação global de leitos UTI acima dos 100%, sendo que somente em Campo Grande, onde a situação é mais crítica, a taxa chega a 107%. "Temos pacientes em leitos não habilitados e internados de forma improvisada", pontuou.

Mesmo após 14 dias de lockdown, Dourados está com ocupação de 104% nos leitos UTI. As macrorregiões de Corumbá e Três Lagoas estão com 100% de ocupação.

Os dados mostram que são 1.205 pessoas com covid internadas. Dessas, 563 estão em estado grave em UTIs, sendo que 432 estão pelo SUS e 131 em hospitais privados. Já em leitos clínicos são 642 pessoas internadas, com 429 delas em leitos públicos e 213 na rede particular.

Jornal Midiamax