Cotidiano

Com colapso na saúde e novas variantes, Secretaria de Saúde de MS pede lockdown em 43 cidades

Classificação altera toque de recolher e começa a valer a partir de sexta-feira (11)

Gabriel Maymone Publicado em 10/06/2021, às 08h56

Campo Grande segue com bandeira vermelha
Campo Grande segue com bandeira vermelha - Marcos Ermínio / Midiamax

Diante do colapso na saúde em todas as regiões de Mato Grosso do Sul, o comitê do Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança na Economia) atualizou nesta quinta-feira (10) o mapa de risco para covid e colocou 43 municípios em grau cinza, ou seja, risco extremo de contaminação. Conforme a SES (Secretaria Estadual de Saúde), essas cidades devem adotar o lockdown, o funcionamento apenas de serviços essenciais.

As maiores cidades do Estado entram na classificação cinza: Campo Grande, Dourados, Três Lagoas, Corumbá e Ponta Porã.

De acordo com o decreto publicado em Diário Oficial desta quinta-feira (10), levou-se em consideração pedido dos prefeitos realizado em reunião na Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul) em que os gestores pediram medidas mais restritivas para conter o avanço da pandemia no Estado, que ocupa há mais de uma semana o posto de estado com maior aumento percentual na média móvel de mortes do país.

O comitê destaca, ainda, a falta de leitos, considerando que em todas as regiões do estado há ocupação global acima de 90% para pacientes com SRAG/Covid. Dessa forma, o decreto endureceu as regras de classificação e colocou um grau mais alto de risco para os municípios. 

Além disso, o decreto estabelece várias faixas de horários para o toque de recolher, conforme a classificação do município, da seguinte forma:

  • Bandeira amarela e laranja: a partir das 22h às 5h
  • Bandeira vermelha: 21h às 5h
  • Bandeira cinza: 20h às 5h

As alterações são válidas para o período entre 11 e 24 de junho. Veja o mapa completo abaixo:

Jornal Midiamax