Cotidiano

VÍDEO: incêndios florestais devastam Estrada Parque e já destruíram três pontes no Pantanal

Incêndios florestais que assolam o Pantanal sul-mato-grossense continua causando prejuízos. A Estrada Parque é um dos pontos que concentra grandes focos de queimadas. Além da estrada, outros locais que recebem atenção especial das equipes de trabalho são a BR-262, Serra do Amolar, Parque Estadual do Rio Negro, Porto Esperança e região nordeste/leste do Estado. A […]

Gabriel Maymone Publicado em 11/10/2020, às 20h39

Incêndio destruiu ponte na Estrada Parque. (Foto: Divulgação, PrevFogo)
Incêndio destruiu ponte na Estrada Parque. (Foto: Divulgação, PrevFogo) - Incêndio destruiu ponte na Estrada Parque. (Foto: Divulgação, PrevFogo)

Incêndios florestais que assolam o Pantanal sul-mato-grossense continua causando prejuízos. A Estrada Parque é um dos pontos que concentra grandes focos de queimadas.

Além da estrada, outros locais que recebem atenção especial das equipes de trabalho são a BR-262, Serra do Amolar, Parque Estadual do Rio Negro, Porto Esperança e região nordeste/leste do Estado. A força-tarefa é formada por fuzileiros navais, bombeiros, brigadistas do Ibama, militares do Paraná, Santa Catarina, Força Nacional, voluntários de entidades não governamentais e, recentemente, 50 homens dos bombeiros do Distrito Federal.

Conforme o jornal Diário Corumbaense, na Estrada Parque, a equipe prioriza a segurança de moradores da comunidade do Passo do Lontra. Casas, pousadas e edificações de fazendas são monitoradas para evitar que o fogo chegue até esses locais. O trabalho exige muito dos combatentes, que atuam dia e noite para conter as chamas que se alastram rapidamente com o tempo seco e baixa umidade.

A Agesul (Agência de Gestão e Empreendimentos) informa que pelo menos três pontes já foram incendiadas. O órgão afirma que mantém equipes fazendo limpeza manual e mecanizada, não há trecho interditado ao longo estrada e nos locais onde as pontes foram queimadas, há desvios “naturais”, pois com a seca, não há água nas extensões das pontes.

Jornal Midiamax