Cotidiano

Sem espaço, corpos de vítimas de coronavírus são colocados em contêineres no HRMS

A Saúde de Mato Grosso do Sul está à beira de entrar em colapso. Neste fim de semana, o HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul) esgotou a capacidade diária para atender a demanda de óbitos e já guarda corpos de vítimas do novo coronavírus (Covid-19) em conteiner frigorífico refrigerado. Segundo informado pela assessoria […]

Gabriel Maymone Publicado em 13/07/2020, às 11h37 - Atualizado em 14/07/2020, às 09h05

Corpos já são acomodados em containres por falta de espaço na câmara fria do HRMS.(Danielle Errobidarte, Midiamax)
Corpos já são acomodados em containres por falta de espaço na câmara fria do HRMS.(Danielle Errobidarte, Midiamax) - Corpos já são acomodados em containres por falta de espaço na câmara fria do HRMS.(Danielle Errobidarte, Midiamax)

A Saúde de Mato Grosso do Sul está à beira de entrar em colapso. Neste fim de semana, o HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul) esgotou a capacidade diária para atender a demanda de óbitos e já guarda corpos de vítimas do novo coronavírus (Covid-19) em conteiner frigorífico refrigerado.

Segundo informado pela assessoria do hospital, o motivo é a falta de espaço em câmaras mortuárias – local onde os corpos ficam até serem liberados. Não foi informado, porém, quantas vítimas já foram colocadas nesses espaços.

O conteiner é utilizado para que sejam seguidos os padrões sanitários exigidos em casos específicos de infecção pelo novo coronavírus.

O aumento no número de internações preocupa autoridades da saúde, que correm para liberar novos leitos em outras unidades hospitalares da cidade.

Então, o último boletim divulgado pelo HRMS informa que, no domingo (12), havia 91 pacientes internados com coronavírus (Covid-19) no hospital. Desses, 48 estavam em leitos UTI. A taxa de ocupação dos leitos críticos e semicríticos está em 90,4%. São 75 ocupados e apenas 8 disponíveis.

Neste fim de semana, o boletim divulgado pela SES (Secretaria Estadual de Saúde) informa que foram três óbitos em Campo Grande. Entretanto, pacientes com a suspeita da doença que faleceram no HRMS ainda podem estar aguardando resultado para confirmar a Covid-19.

Jornal Midiamax