Cotidiano

Para prevenir de infecções, Sesau reforça medidas de higienização das mãos para profissionais

Nessa segunda-feira (17), a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) aprovou protocolos de higienização das mãos para evitar a proliferação de infecções na Rede Municipal de Saúde. Também foram aprovadas medidas e especificações para a identificação de pacientes. Segundo a publicação do Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande), as medidas deverão entrar em vigor a partir […]

Dândara Genelhú Publicado em 17/02/2020, às 10h56

Foto: Reprodução/ Pixabay.
Foto: Reprodução/ Pixabay. - Foto: Reprodução/ Pixabay.

Nessa segunda-feira (17), a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) aprovou protocolos de higienização das mãos para evitar a proliferação de infecções na Rede Municipal de Saúde. Também foram aprovadas medidas e especificações para a identificação de pacientes. Segundo a publicação do Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande), as medidas deverão entrar em vigor a partir da data de divulgação.

Na publicação constam várias formas de higienização das mãos, que devem ser seguidas pelos profissionais da área da saúde. As medidas são para prevenir e controlar as infecções relacionadas à assistência à saúde (Iras).

Segundo o divulgado, a falta das higienizações corretas pode causar aumento da morbidade e mortalidade, prolongamento do tempo de internação, incapacitações de longo prazo, maiores resistência de microrganismos a antimicrobianos, aumento nos custos para tratamento dos pacientes, famílias e sistema de saúde, e até óbitos que poderiam ser evitados.

O anexo da publicação explica as quatro formas de higienização que podem ser utilizadas e exemplifica as situações em que se encaixam. Entre elas estão os momentos que o profissional de saúde deve realizar a higiene das mãos: antes de tocar no paciente, antes de realizar procedimento com dispositivos, após exposição a fluídos corporais dos pacientes (mucosa, pele ferida, curativos e outros),  após tocar o paciente e após encostar em qualquer superfícies próximas.

Cartilhas explicativas da Anvisa, sobre como devem ser realizadas as higienizações, foram publicadas nos anexos. Entre os lembretes, foi  divulgado que o uso de luvas não anula a necessidade das higienizações.

Identificação dos pacientes

Na mesma aprovação foi anexado itens de identificação do paciente durante atendimento na Rede Municipal de Saúde.  As medidas são para melhorar a qualidade assistencial e buscam a difusão de uma cultura de segurança do paciente.

Poderão ser utilizadas pulseiras, etiquetas, crachás de identificação, placa de identificação no leito e confirmação verbal para  identificação dos pacientes. A prática deverá prevenir erros durante o cuidado à saúde para os pacientes sob qualquer condição de assistência.

Com as especificações, fica estabelecido que os pacientes deverão apresentar documento oficial com foto para dar entrada no atendimento da Rede Municipal de Saúde.

Jornal Midiamax