Há um ano Elias Matheus Pietrobelli, 28 anos, aguarda uma decisão da Justiça de para ter direito ao fornecimento de medicamentos para o filho Irio Matheus Campos Pietrobelli, 1 ano e 10 meses, que luta contra três doenças: epilepsia, displasia de nervo óptico e hipocondroplasia óssea (nanismo).

A luta da criança começou assim que veio ao mundo. Ficou 96 dias internado em UTI (Unidade de Terapia Intensiva) com convulsões. “Ficou no hospital até acertarem as doses do medicamento”, informou o pai.

Diagnosticado com epilepsia de difícil controle, o menino tem convulsão controlada e não pode ficar sem os medicamentos.

Na ação que tramita desde outubro do ano passado, a pede o fornecimento urgente dos medicamentos Trileptal (Oxcarbazepina) e Keppra (Levetiracetam).

O pai conta que tem todas as notas fiscais dos gastos que teve com os medicamentos e que às vezes conta com a ajuda de seu patrão, dono de uma conveniência, para conseguir adquirir os remédios. São R$ 394 gastos mensalmente com os fármacos.

Enquanto a decisão não sai, a defesa tenta o reembolso dos valores gastos mensalmente pelo pai de Irio, mas sem sucesso. A última restituição foi em abril.

“O processo está pronto para despacho, mas nunca sai”, lamenta Elias Matheus, que trabalha para garantir medicamentos e deixar a convulsão do filho sob controle.

À reportagem, Elias disse que consegue trabalhar para comprar os medicamentos graças ao apoio da mãe, já que a criança não pode ficar sem a supervisão de um adulto. “Tenho a guarda compartilhada, mas não exijo muito da mãe dele, que luta contra um câncer”, pontuou.

O processo tramita no Juizado Especial da Fazenda Pública e está sob análise do juiz José Henrique Kaster Franco.

Saiba Mais