Cotidiano

Nível do Rio Paraguai já aponta recuperação e pode sair de margem negativa nos próximos dias

Mesmo com poucas chuvas e subindo a ‘passos lentos’, o nível do Rio Paraguai já apresenta tendência de recuperação. Conforme o boletim hídrico da Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), desta quarta-feira (11), em Ladário, a 417 quilômetros de Campo Grande, a altura da água alcançou a margem negativa de 1 […]

Karina Campos Publicado em 11/11/2020, às 14h58 - Atualizado às 15h36

(Foto: Ilustrativa/Arquivo Midiamax)
(Foto: Ilustrativa/Arquivo Midiamax) - (Foto: Ilustrativa/Arquivo Midiamax)

Mesmo com poucas chuvas e subindo a ‘passos lentos’, o nível do Rio Paraguai já apresenta tendência de recuperação. Conforme o boletim hídrico da Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), desta quarta-feira (11), em Ladário, a 417 quilômetros de Campo Grande, a altura da água alcançou a margem negativa de 1 centímetro.

De acordo com o levantamento, na terça-feira passada (3), o nível marcante na régua do 6° Distrito Naval do município registrada 15 centímetros negativos e nos dias seguintes, subindo consequentemente. Na segunda-feira (9), marcada -7; e terça-feira -4.

A mesma tendência de recuperação acontece nas bacias de Porto Esperança, São Francisco e Porto Murtinho, que registrou chuva considerável nos últimos dias.

Nível do Rio Paraguai já aponta recuperação e pode sair de margem negativa nos próximos dias
Boletim hídrico. (Foto: Divulgação)

O Rio Paraguai é a principal bacia hídrica do bioma pantaneiro, e em consequência da severa estiagem deste ano, registrou baixa histórica dos últimos 50 anos, chegando a registrar 32 centímetros negativo.

Segundo o pesquisador em Geociências, Marcus Suassuna, as chuvas observadas ne novembro foram irregulares e ainda não caracterizam o início do da estação chuvosa. A previsão é que nos próximos 15 dias a chuva seja abaixo do normal para este período do ano, mas ajude na recuperação nos rios.

“Ainda que a estação chuvosa se inicie, porém, os rios na calha do rio Paraguai levarão tempo para se recuperarem, haja vista serem rios de resposta lenta, principalmente sobre o MS. Em Ladário, o rio Paraguai tem mostrado uma tendência de recuperação de níveis e, de acordo com os dados históricos, é improvável que o rio retorne ao regime de recessão neste local, após retomada a recuperação de níveis”, disse.

As projeções do Serviço Geológico do Brasil, empresa ligada ao Ministério de Minas e Energia, indicam que no próximo mês, em Ladário, o rio suba até 18 centímetros e Porto Murtinho (MS), em quatro semanas o rio deve alcançar a cota de 1,85 metros.

Jornal Midiamax