Cotidiano

Família pede ajuda para dar acessibilidade a mulher paralisada há 27 anos em MS

A família de Luzia Ramos Rodrigues, 52 anos, busca doações para ajudar a melhorar a acessibilidade na casa onde mora a mulher que está paralisada há 27 anos após um acidente de trânsito. A família já tentou um médico que indicasse algum procedimento para que Luzia esticasse as pernas, uma vez que seus membros inferiores […]

Dayene Paz Publicado em 31/08/2020, às 07h41 - Atualizado às 11h27

Mulher precisa de ajuda para facilitar vida dentro de casa. Imagem: Nova News (cedida pela família)
Mulher precisa de ajuda para facilitar vida dentro de casa. Imagem: Nova News (cedida pela família) - Mulher precisa de ajuda para facilitar vida dentro de casa. Imagem: Nova News (cedida pela família)

A família de Luzia Ramos Rodrigues, 52 anos, busca doações para ajudar a melhorar a acessibilidade na casa onde mora a mulher que está paralisada há 27 anos após um acidente de trânsito. A família já tentou um médico que indicasse algum procedimento para que Luzia esticasse as pernas, uma vez que seus membros inferiores ficaram paralisados em uma posição que dificulta seu repouso. No entanto, o procedimento seria arriscado e sem garantia de sucesso.

Então, a família de Batayporã, a 306 quilômetros de Campo Grande, decidiu fazer um rifa para arrecadar dinheiro e melhorar a casa onde a mulher mora. O custo orçado para melhorar a calçada e o banheiro da casa é de R$ 7 mil.

Luzia tem apenas movimentos parciais em um dos braços e o caso foi divulgado pelo site Nova News. Após essa divulgação, um médico se comoveu e entrou em contato com a família. Ele fez uma avaliação e se colocou à disposição, porém, devido ao estado delicado da mulher, paralisada há quase 30 anos, qualquer procedimento mais incisivo seria um risco.

Sendo assim, familiares optaram por não mais tentarem corrigir a posição de suas pernas, para evitar possíveis complicações, que poderiam agravar ainda mais a situação. “O médico foi muito atencioso, mas entendemos que a situação da minha mãe é complicada. As pernas dela estão travadas nesta posição há quase três décadas. Ele nos explicou que, no caso dela, a realização de algum procedimento seria algo arriscado e sem garantia de melhora”, disse Edson, filho de Luzia.

Rifa beneficente

Os familiares e amigos se unem para tentar dar um pouco mais de conforto para Luzia. Edson explica que a casa em que a mãe mora precisa de melhorias e que o orçamento ficou em torno de R$ 7 mil. “O banheiro é muito pequeno e não tem como entrar com a cadeira de rodas. Minhas tias que cuidam da minha mãe têm que dar banho nela com panos úmidos, porque é muito difícil levá-la neste estado até o chuveiro”, explica o filho.

Além da ampliação do banheiro, Edson comenta que outro objetivo da rifa é fazer o calçamento do quintal. “Na casa dela não tem calçada aí é difícil a locomoção com a cadeira de rodas. A gente queria que ela ficasse um pouco fora do quarto, que tomasse um ar puro no quintal, mas, na terra, a cadeira de rodas vai com dificuldade”, afirma.

“Queremos pedir doações de prendas para que possamos organizar esta rifa e tentarmos arrecadar o valor necessário para as obras. Uma pessoa na situação da minha mãe não poder tomar um banho de chuveiro ou sair no quintal para ver a luz do dia é algo muito cruel”, desabafa Edson.

Como ajudar?

Quem puder ajudar na realização da rifa beneficente a Luzia Ramos Rodrigues com doações em prendas, dinheiro ou de outras formas, pode entrar em contato com a família pelos números de celular / WhatsApp (67) 9 9906-2683 ou (67) 9 9808-3998.

Jornal Midiamax