Cotidiano

Com mais de 61 mil notificações, MS é o 2° do Brasil em incidência de dengue

A SES (Secretaria Estado de Saúde) apresentou nesta quarta-feira (10) a atualização do boletim epidemiológico da dengue. O balanço aponta que Mato Grosso do Sul ocupa a 2° posição no ranking nacional com maior incidência da doença. Já foram registrados 61.604 notificações este ano. Conforme o levantamento, o município com maior incidência, comparando o número […]

Karina Campos Publicado em 10/06/2020, às 17h44 - Atualizado em 11/06/2020, às 09h26

(Foto: Divulgação/ PMCG)
(Foto: Divulgação/ PMCG) - (Foto: Divulgação/ PMCG)

A SES (Secretaria Estado de Saúde) apresentou nesta quarta-feira (10) a atualização do boletim epidemiológico da dengue. O balanço aponta que Mato Grosso do Sul ocupa a 2° posição no ranking nacional com maior incidência da doença. Já foram registrados 61.604 notificações este ano.

Conforme o levantamento, o município com maior incidência, comparando o número de habitantes, é Douradina, com 398 notificações para 5.924 moradores. Em seguida está São Gabriel do Oeste, Novo Horizonte do Sul, Anaurilândia, Jateí, Amambaí, Naviraí, Gloria de Dourados, Ponta Porã, Chapadão do Sul.

O maior número de notificações foi registrado em Campo Grande, com 13.661 para 895.982 habitantes.
Já no em casos confirmados por exames laboratoriais, a Capital soma 9.285 ocorrências, seguido de Três Lagoas (2.616); Amambai (1.282); Ponta Porã (1.268); Dourados (1.104); Corumbá (1.024); Chapadão do Sul (918); Bonito (526); Glória de Dourados (522); e Naviraí (511).

Com mais de 61 mil notificações, MS é o 2° do Brasil em incidência de dengueAinda segundo a distribuição espacial de incidência, todos os municípios do Estado apontam alta incidência, com mais de 300 casos para cada 100 mil habitantes.

A maior taxa dos perfis notificados está no público de 20 a 29 anos (19,61%), em seguida a população entre 40 a 49 anos contabiliza 17,71%; 10 a 19 anos (16,48); 40 a 49 anos (14,37%); 50 a 59 anos (11,31%); 1 a 9 anos (8,38%); 60 a 69 anos (6,65%); e 70 a 79 anos (3,12%). Além disso, o público feminino registra maior confirmação dos casos, sendo de 56%, enquanto homens 44%.

O município que mais registra mortes causadas por dengue é Campo Grande, com 7 mortes, Corumbá registrou 4 e Ponta Porã 2 vítimas, um homem de 38 anos e outro de 43 anos, que tinha diabetes e hipertensão. O boletim também aponta que maio foi o mês que menos registrou óbitos em MS.

Jornal Midiamax