Cotidiano

Cidade de MS manterá barreiras sanitárias por mais 30 dias e monitora saída para Dourados

Barreiras sanitárias de Itaporã também proíbem a entrada na cidade de casos suspeitos de coronavírus que não sejam moradores.

Humberto Marques Publicado em 08/06/2020, às 18h23 - Atualizado às 18h27

Barreira sanitária em Itaporã; cidade proíbe a entrada de casos suspeitos de Covid-19 que não sejam moradores. (Foto: Ascom/Divulgação)
Barreira sanitária em Itaporã; cidade proíbe a entrada de casos suspeitos de Covid-19 que não sejam moradores. (Foto: Ascom/Divulgação) - Barreira sanitária em Itaporã; cidade proíbe a entrada de casos suspeitos de Covid-19 que não sejam moradores. (Foto: Ascom/Divulgação)

Decreto baixado pelo prefeito Marcos Pacco (PSDB), de Itaporã –a 240 km de Campo Grande– prorrogou o funcionamento das barreiras sanitárias contra o coronavírus (Covid-19) nos principais acessos ao município por mais 30 dias, e estabeleceu monitoramento no acesso à vizinha Dourados das 8h às 19h. Casos suspeitos de fora são proibidos de entrar na cidade.

A medida foi tomada cerca de 24 horas depois de o município registrar sua primeira morte pela Covid-19 –uma mulher de 63 anos que teve contato com outros infectados.

A prorrogação do funcionamento das barreiras sanitárias poderá ser novamente adotado caso haja necessidade. Segundo Pacco, como Itaporã é uma cidade-dormitório, tem grande rotatividade de moradores que trabalham nas cidades vizinhas.

O acesso a Dourados pela MS-156 será monitorado das 8h às 19h, com posto de fiscalização na Rotatória do Peixe. A cidade-polo da região registra o maior número de casos de coronavírus do Estado (611 nesta segunda-feira) e é centro de serviços e ensino para 35 municípios.

Nas imediações, são abordados cerca de 2 mil veículos por dia.

Os outros dois acessos a Itaporã serão fiscalizados das 7h às 17h: na Avenida José Maria Bezerra Lima, rumo a Maracaju, com cerca de 800 veículos fiscalizados ao dia; e na MS-156, próximo ao Cemitério Municipal Cristo Redentor, com 400 abordagens diárias.

Conforme a assessoria da Prefeitura de Itaporã, servidores da Saúde e de Serviços Urbanos fazem aferição da temperatura corporal nas barreiras sanitárias e verificam se eles têm algum sintoma da Covid-19 (como tosse seca ou com secreção, dor de garganta, dificuldade respiratória, dor no corpo, fraqueza, diarreia, vomito, coriza e dor de cabeça).

Os casos suspeitos de Itaporã são encaminhados ao Hospital Municipal. Já pessoas que apresentem sintomas e não sejam do município são orientadas a voltarem para seus locais de origem. A mesma medida começou a ser adotada nesta manhã por Laguna Carapã.

Jornal Midiamax