Cotidiano

Candidatos aprovados em residência devem fazer matrícula nesta quarta-feira

Os 76 candidatos aprovados na residência multiprofissional do país devem comparecer à Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) até as 17 horas desta quarta-feira (19) para realizar a matrícula no curso, que terá duração de dois anos. Os residentes atuarão nas unidades do Laboratório de Inovação na Atenção Primária à Saúde Forte, da Fiocruz (Fundação Oswaldo […]

Ana Palma Publicado em 19/02/2020, às 11h39

(Foto: Divulgação PMCG)
(Foto: Divulgação PMCG) - (Foto: Divulgação PMCG)

Os 76 candidatos aprovados na residência multiprofissional do país devem comparecer à Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) até as 17 horas desta quarta-feira (19) para realizar a matrícula no curso, que terá duração de dois anos. Os residentes atuarão nas unidades do Laboratório de Inovação na Atenção Primária à Saúde Forte, da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz).

Para efetivar a matrícula, é necessário que o candidato tenha em mãos os documentos exigidos no edital que está disponível nesse link.Caso o profissional convocado não compareça dentro do prazo ou não esteja com todos os documentos exigidos no ato da matrícula, será considerado desistente e perderá o direito à vaga, permitindo que outro candidato que não tenha sido convocado e é o próximo na sucessão assuma o cargo.

Os candidatos aprovados vão realizar a residência em uma das nove unidades que fazem parte do Programa “Laboratório de Inovação na Atenção Primária à Saúde – FIOCRUZ/MS-APS Forte”. Eles atuarão em regime de dedicação exclusiva e cumprirão cargas de 60 horas semanais.

“A proposta desta residência é o desenvolvimento de ações voltadas para o atendimento ao SUS, para a formação dos profissionais preparados para atuarem na Atenção Primária, por meio da integração entre ensino-serviço-comunidade”, mencionou o secretário de Saúde, José Mauro Filho.

Assim como o programa de residência médica em medicina da saúde e comunidade, a residência multidisciplinar em residência da família e comunidade faz parte do Laboratório de Inovação da Fiocruz.  O projeto vai beneficiar nove Unidades de Saúde da Família de Campo Grande, com reformas estruturais e a qualificação de profissionais para atuar nesses locais.

Em 2018, Campo Grande entrou para o seleto grupo que integra o Laboratório de Inovação em Atenção Primária à Saúde Forte (APS Forte), desenvolvido pela Organização Pan – Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) no Brasil. Atualmente, a cobertura populacional da APS em Campo Grande é superior a 60%, um salto do que era em janeiro de 2017, quando registrava cerca de 35% de cobertura populacional.

Jornal Midiamax