Cotidiano

Sem ticket, funcionários da Solurb podem paralisar coleta de lixo

Trabalhadores da CG Solurb, empresa responsável pela coleta, triagem e destinação de resíduos na Capital, afirmam que o pagamento do ticket alimentação de R$ 472,50, que deveria ter sido depositado na última terça-feira (1º), ainda não ocorreu. A situação causou revolta na categoria a ponto de ameaçar os serviços desta sexta-feira (4), já que parte […]

Guilherme Cavalcante Publicado em 04/10/2019, às 12h02 - Atualizado às 17h53

Foto: Arquivo Midiamax
Foto: Arquivo Midiamax - Foto: Arquivo Midiamax

Trabalhadores da CG Solurb, empresa responsável pela coleta, triagem e destinação de resíduos na Capital, afirmam que o pagamento do ticket alimentação de R$ 472,50, que deveria ter sido depositado na última terça-feira (1º), ainda não ocorreu.

A situação causou revolta na categoria a ponto de ameaçar os serviços desta sexta-feira (4), já que parte dos funcionários teriam se recusado a realizar a coleta. “É muito constrangedor você chegar no mercado e encher um carrinho de alimento e quando chega no caixa não pode passar, porque a empresa não depositou os valores. Isso já aconteceu antes, não é a primeira vez”, declarou uma funcionária ouvida pela reportagem.

A Steac-MS (Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Asseio e Conservação do MS) confirmou que o pagamento do ticket não foi realizado e que a comunicação do atraso por parte da empresa ocorreu apenas no dia 30 de setembro, última segunda-feira.

Sem ticket

“Foi algo que pegou muita gente de surpresa, causando constrangimento. Não é a primeira vez que acontece, mas é a primeira vez que a comunicação chega em cima da hora, então nem todo mundo estava sabendo”, detalha ao Jornal Midiamax Ton Jean Ramalho Ferreiro, vice-presidente do sindicato.

O sindicalista destacou que uma assembleia com os funcionários está prevista para amanhã, caso o pagamento do ticket não seja realizado até esta sexta-feira. “A assembleia pode determinar que a categoria entre em paralisação, num prazo de 72h após a decisão, já que somos um serviço essencial. Esperamos que isso não seja necessário”, pontua.

A categoria também aguarda o pagamento do salário para a próxima segunda-feira (7). Segundos relatos preliminares, há risco dos depósitos não ocorrerem, porque a Prefeitura de Campo Grande não teria repassado os valores.

Reincidência

Esta é a segunda vez que a categoria vive possibilidade de paralisação. Em junho de 2019, a empresa CG Solurb também atrasou o ticket alimentação, sob alegação de que não havia dinheiro em caixa e que a Prefeitura não tinha efetuado os devidos repasses. Assim, a categoria também ameaçou paralisar.

A empresa também informou, na época, que a dívida municipal com a CG Solurb era de R$ 24 milhões, dos quais cerca de R$ 15 milhões estavam em atraso e o restante referente ao valor a receber.

A reportagem entrou em contato com a CG Solurb sobre o ocorrido nesta sexta-feira. A empresa destacou que o depósito não ocorreu na data acertada porque a Prefeitura “não quitou os serviços prestados nos meses de Julho e Agosto de 2019″. Ainda segundo a empresa, a Prefeitura teria informado que realizaria um dos pagamento ainda nesta sexta-feira (4), quantia que “será o suficiente para realizar especificamente o pagamento dos funcionários”.

A nota da CG Solurb detalha, ainda, que apesar da expectativa de repasse por parte da Prefeitura ser o suficiente para pagar os funcionários, o município ainda não teria passado “outras programações de pagamento”, de forma que a CG Solurb não teria como precisar “o dia em que o ticket alimentação será disponibilizado aos funcionários”.

Sobre a comunicação do atraso ter ocorrido na véspera, a CG Solurb pontuou que acreitou que a Prefeitura realizaria em tempo hábil o repasse, “fato este que não concretizou-se, logo a informação foi encaminhada ao sindicato para comunicação aos funcionários”.

O Jornal Midiamax também acionou a Prefeitura de Campo Grande e aguarda posicionamento.

Jornal Midiamax