Cotidiano

‘Primo’ do bafômetro vai detectar consumo de drogas por motoristas

O MJSP (Ministério da Justiça e Segurança Pública) pretende implantar no Brasil tecnologia de screening para detecção do consumo de substâncias psicoativas em motoristas. O dispositivo, usado em países como Estados Unidos, Austrália e Canadá, funciona de forma parecida com o bafômetro, que identifica a presença de álcool no organismo, e tem o objetivo de […]

Renan Nucci Publicado em 12/04/2019, às 16h31 - Atualizado às 16h46

None

O MJSP (Ministério da Justiça e Segurança Pública) pretende implantar no Brasil tecnologia de screening para detecção do consumo de substâncias psicoativas em motoristas. O dispositivo, usado em países como Estados Unidos, Austrália e Canadá, funciona de forma parecida com o bafômetro, que identifica a presença de álcool no organismo, e tem o objetivo de prevenir acidentes de trânsito.

Nesta sexta-feira foi publicada portaria instituindo grupo de trabalho que vai realizar estudos técnicos e elaborar documentos visando a padronização da tecnologia.  O aparelho é capaz de constatar, em cinco minutos, o uso de substâncias como maconha, cocaína e anfetaminas a partir de amostras de saliva.

“A experiência de países como Austrália, Inglaterra, Noruega, Alemanha, Nova Zelândia, Canadá e Estados Unidos demonstra que, aliada às políticas de fiscalização, a implementação das técnicas de triagem para detecção de substâncias psicoativas por condutores de veículos é efetiva para reduzir os índices de colisões e mortes no trânsito”, afirma o secretário nacional de Políticas sobre Drogas, Luiz Roberto Beggiora.

O uso do aparelho no Brasil é projeto conjunto de três áreas do MJSP: Senad (Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas), PRF (Polícia Rodoviária Federal) e Senasp (Secretaria Nacional de Segurança Pública).

Coordenado pela Senad e formado por dois representantes da secretaria, dois da PRF e dois da Senasp, o grupo de trabalho terá prazo de 12 meses para concluir seus trabalhos e elaborar todos os passos de implantação do dispositivo no território nacional, inclusive, nesse período, com a implementação de um projeto piloto em algumas cidades brasileiras a serem selecionadas. Um cronograma detalhado será elaborado em breve. Os produtos resultantes das atividades desenvolvidas no âmbito da comissão serão consolidados em um relatório final.

Jornal Midiamax