As pessoas que olharam para o céu na noite desta segunda-feira (16), puderam perceber que a luz mudou sua cor e ficou mais avermelhada, diferentemente do tradicional. A explicação é bem simples e deve-se muito a onda de calor que o país passa e os recentes incêndios florestais que atingem diversas regiões, principalmente em Mato Grosso do Sul.

Conforme explica a meteorologista Franciane Rodrigues, do (Centro de Monitoramento do Tempo e Clima), quanto mais o ar fica poluído, mais avermelhado a lua pode ficar e isso acaba acontecendo devido ao principal fator que são as queimadas. “Isso acontece porque a luz interage com essas partículas de poluição no comprimento de onda do vermelho”.

Com o ar bastante poluído, as partículas minúsculas acabam encobrindo a luz da lua e do sol. O fenômeno que atrai esse resultado é conhecido como ‘espalhamento mie' – onde a interação da luz com a atmosfera não tem preferência pelo comprimento de onda e acaba não espalhando para todos os lados, mas preferencialmente para frente.

O fenômeno já aconteceu este ano, mas com a luz do sol. Em agosto, o céu amanheceu cinza e o sol bem avermelhado, igual como aconteceu com a lua na noite desta segunda-feira.

Queimadas em MS

Devido ao tempo seco e a crescente nas queimadas nas regiões do Pantanal, o Governo do Estado declarou situação de emergência em pelo menos nove municípios mais afetados pelas queimadas em vegetação. Os municípios ficam em situação de emergência por seis meses e o Governo autoriza a mobilização de todos os órgãos estaduais para atuarem, sob a coordenação do Cedec (Coordenadoria Estadual de Defesa Civil), nas ações de resposta ao desastre, reabilitação do cenário e reconstrução.

A estimativa é de que mais 1 milhão de hectares de vegetação foram destruídas pelas queimadas no Estado entre os meses de agosto e setembro, onde o índice de calor foi mais forte.