Cotidiano

Servidores da segurança pública também param e protestam em Dourados

Policias militares e civis ser reúnem e fazem manifestação em delegacia de Dourados, a 225 km de Campo Grande, nesta sexta-feira (31). O ato é integrado com as manifestações que acontecem na Capital, solicitando reajuste salarial e maior valorização da categoria. Segundo o vice-presidente da ACSMS (Associação de Cabos e Soldados de Mato Grosso do […]

Kamila Alcântara Publicado em 31/05/2019, às 11h47 - Atualizado às 16h48

Foto: Adilson Domingos
Foto: Adilson Domingos - Foto: Adilson Domingos

Policias militares e civis ser reúnem e fazem manifestação em delegacia de Dourados, a 225 km de Campo Grande, nesta sexta-feira (31). O ato é integrado com as manifestações que acontecem na Capital, solicitando reajuste salarial e maior valorização da categoria.

Segundo o vice-presidente da ACSMS (Associação de Cabos e Soldados de Mato Grosso do Sul), sargento Aparecido Lima, assim como em na Capital, a operação será padrão, onde o atendimento só é feito em caso de flagrante.

“São cerca de cem policiais, entre militares e civis, que se juntarem à luta. Eles estão reunidos na Depac [Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário] de Dourados”, confirma o sargento Aparecido.

Reivindicações

Segundo o Sinpol, os policiais civis estão em 20ª colocação em condições salariais, sendo que são os 1º em resolução de casos. Eles pedem a reposição do salário em cima da inflação de 4%.

A PM luta é pela incorporação do abono de R$ 200, pela imediata reposição inflacionária constitucional dos últimos meses, além da discussão das perdas acumuladas desde que a atual gestão assumiu o Executivo.

Já os agentes penitenciários, segundo o Sinsap-MS (Sindicato dos Servidores da Administração Penitenciária), cobrar reajuste salarial inflacionário de 4,78% e alegam que os demais poderes receberam regularmente as correções salariais, e constantemente são contemplados com uma série de benefícios.

Jornal Midiamax