Cotidiano

MP-MS abre inquérito para acompanhar reativação do banco de sangue da Santa Casa

A reabertura do Banco de Sangue da Santa Casa de Campo Grande será acompanhada pelo MP-MS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul). Inquérito Civil foi instaurado nesta segunda-feira (3) para apurar medidas necessárias para reativação do núcleo de coleta da unidade. Por determinação da administração do hospital, o banco de sangue foi fechado no […]

Maisse Cunha Publicado em 03/12/2018, às 07h32

 (Foto: Divulgação/Governo de MS)
(Foto: Divulgação/Governo de MS) - (Foto: Divulgação/Governo de MS)

A reabertura do Banco de Sangue da Santa Casa de Campo Grande será acompanhada pelo MP-MS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul). Inquérito Civil foi instaurado nesta segunda-feira (3) para apurar medidas necessárias para reativação do núcleo de coleta da unidade.

Por determinação da administração do hospital, o banco de sangue foi fechado no dia 19 de fevereiro de 2018, devido à instalação da rede de energia elétrica do Hospital do Trauma, que já recebe pacientes desde o início de setembro.

Para a reativação do Núcleo de Coleta, conforme alegado pela instituição, a unidade precisaria passar por obras de reestruturação da área física que deve compreender recepção, triagem, triagem médica, sala de coleta, sala de recuperação e copa, conforme o inquérito.

Ao Ministério Público, a administração informou que mesmo com o banco desativado, o hospital continua realizando sangrias e transfusões ambulatoriais.

O inquérito foi instaurado depois que representantes do Hemosul, em tratativas para implantação do Centro de Atendimento Multidisciplinar a pacientes com hemofilia e outras coagulopatias, em setembro, informaram as dificuldades enfrentadas após o fechamento do Núcleo de Coleta da Santa Casa, que captava cerca de 50 bolsas de sangue por dia.

A Santa Casa era responsável pela captação de 25% da demanda de todo Estado e se comprometeu em auxiliar o hemosul, com captação interna de doadores e disponibilização de local para a unidade móvel acolher doadores, para atenuar o impacto do fechamento.

Nova reunião entre representantes da Santa Casa, promotoria e do Hemosul deve acontecer em 90 dias. A previsão é que a unidade seja reativada ainda no primeiro trimestre de 2019.Enquanto o Banco de Sangue não é reaberto, doações podem ser feitas no hemocentros do Hospital Regional, no próprio Hemosul e em unidades de dourados, Ponta Porã e Paranaíba.

Onde fazer a doação

Segunda à Sexta: 7h às 17h

Sábado: 7h às 12h

HOSPITAL REGIONAL

Rua Engenheiro Lutherio Lopes, 36, Aero Rancho, Campo Grande

Fone: 3378-2678

Segunda à Sexta: 7h às 12h

OUTRAS UNIDADES DE COLETA NO INTERIOR

Segunda à Sexta: 7h às 12h

DOURADOS

Rua Waldomiro de Souza, 295, Vila Industrial

Fone: 3424-4192

PONTA PORÃ

Rua Sete de Setembro, s/n, Santa Isabel

Fone: 3431-6134

TRÊS LAGOAS

Rua Manoel Rodrigues Artez, 520, Colinos

Fone: 3522-7959

PARANAÍBA

Rua Selma Martins de Oliveira, 335, Ipê Branco I

Fone: 3503-1026

Quem pode doar

Para doar sangue é preciso seguir algumas regras: estar munido com documento oficial com foto, como a carteira de identidade ou de motorista.

Os doadores precisam ter de 16 a 69 anos. Há uma ressalva para quem tem 16 e 17 anos: o menor de idade tem que estar acompanhado de pai ou mãe ou responsável legal, ou então, pode retirar na unidade de doação um modelo de declaração (também disponível no site), levar para mãe, pai ou responsável legal assinar e aí reconhecer firma desta assinatura. Se o menor de idade for emancipado pode ir sozinho ao Hemosul e apresentar o documento de emancipação. Se for casado, levar a certidão de casamento que já é suficiente para a liberação.

Embora a lei permita a doação de pessoas abaixo de 50 quilos, a Rede Hemosul reserva-se o direito de aceitar apenas doadores com 55 kg ou mais, para a melhor utilização do sangue coletado e segurança do doador.

O doador deve estar bem alimentado para doar sangue. Não se pode doar sangue em jejum. Mas deve-se evitar alimentos com excesso de gordura quando for realizar a doação. É recomendado alimentação saudável.

Jornal Midiamax