Cotidiano

Prefeito promete entregar 70 ônibus novos até março, 10 com ar-condicionado

Alguns veículos deverão ser equipados com climatizadores 

Wendy Tonhati Publicado em 18/01/2017, às 14h34

None
onibus.jpg

Alguns veículos deverão ser equipados com climatizadores 

Prometidos em campanha pelo prefeito Marquinhos Trad (PSD), os esperados ônibus com ar condicionado devem chegar ainda no primeiro trimestre deste ano. Ao todo, segundo o prefeito, devem vir para Campo Grande, entre 70 e 80 veículos novos até março, sendo pelo menos dez com ar-condicionado ou climatizadores. 

“Eu falei que no primeiro trimestre vocês teriam surpresas e vão ter. Vão chegar novos ônibus, com ar-condicionado e ônibus com climatizadores”, afirmou o prefeito na manhã desta quarta-feira (18), durante vistoria da operação tapa-buraco. 

Durante o período que antecedeu o aumento de R$ 0,30 na tarifa do transporte público, Marquinhos afirmou diversas vezes ser contra o reajuste, sem que a qualidade do serviço fosse melhorada. Em novembro, o então Prefeito Alcides Bernal (PP) divulgou a renovação da frota por meio do programa pró-transportes. A ideia era o Consórcio Guaicurus adquirir 79 ônibus com investimento de R$ 21 milhões.

De acordo com informações apuradas pelo Jornal Midiamax, em 2016, documentos ligados à frota que atende o transporte coletivo de Campo Grande, operado pelo Consórcio Guaicurus, revelavam situações supostamente irregulares. 

Um dos documentos revelava que 42 veículos precisam ser retirados das ruas ainda em 2016. Isso porque eles completariam dez anos de circulação, prazo máximo para a manutenção dos mesmos nas vias da cidade. O último 'ônibus novo' visto circulando pela Capital, foi um Iveco, série 1900, que ficou em testes. O veículo fazia o percurso Terminal Moreninhas – Shopping e depois, entre o terminal Guaicurus e Shopping Norte Sul Plaza, mas já foi retirado. 

Eficiência do transporte

Durante a inspeção do tapa-buraco, o prefeito ainda comentou a situação da rapidez e eficiência do transporte coletivo. Entre as queixas da população estão os ônibus estragados e que demoram 'eternidade' para atender, principalmente, os bairros mais distantes. Marquinhos explicou que não adianta simplesmente colocar o ar-condicionado, pois a potência dos veículos acabaria diminuindo e aumentando o tempo de tráfego. 

“Nós vamos fazer primeiro um teste, uma experiência. Eu quero aumentar a via do corredor deles [dos ônibus]. Porque, eles [motoristas] falam que se não aumentar o corredor, o ar-condicionado seria supérfluo, porque aumentaria a velocidade de trafegabilidade e ventaria mais no interior do ônibus”, comentou o prefeito. 

A ‘buracolândia’ também foi apontada pelo prefeito como um dos fatores diminui a velocidade dos ônibus na Capital e prejudica a sistema de transporte coletivo.

“O que eles reclamam é exatamente o que todos reclamam: são os buracos fazendo com que eles [motoristas] diminuam a velocidade ou de quebra- molas. Toda hora o ônibus tem que parar, engatar a primeira, ir para segunda”, disse. Sobre valores, o prefeito disse que está sendo feito todo levantamento. 

Jornal Midiamax