Grupo reúne especialistas nacionais e estrangeiros 

O professor da Uniderp e biólogo José Sabino é um dos representantes de Mato Grosso do Sul no grupo de especialistas em que discutem a atualização do Índice de Risco Ecológico (IRE) da Bacia do Paraguai, em um encontro promovido pela WWF-Brasil, em Brasília. 

O instrumento, lançado em 2012, permite avaliar o estresse que o ecossistema está submetido, por meio da identificação e classificação das ameaças em relação à severidade e também mapeamento da frequência de ocorrência. Mais de 20 pesquisadores nacionais e estrangeiros, vindos da Argentina, da Bolívia e do Paraguai, integram a discussão.

“Em território nacional, a Bacia do Alto Paraguai está apenas no Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Em Brasília, estamos identificando os agentes estressores e vamos elencar os riscos para gerar mapas e dados para conservação e sustentabilidade da região, informações que servirão de subsídio para o poder público e a sociedade no desenvolvimento de ações de proteção e redução de impacto na área”, explica o professor. 

Pesquisador de MS participa de estudo da WWF sobre a Bacia do Paraguai

“É importante ressaltar que os múltiplos usos da região para agricultura, pecuária mineração e turismo devem obedecer a regras de conservação para minimizar os impactos na busca da sustentabilidade das atividades. A meta é conciliar a produção com boas práticas ambientais, de maneira a proteger os serviços ecossistêmicos”, esclarece Sabino.

(Com informações da assessoria)