Cotidiano

Cavalo some e suspeita é de que universitário o levou para ‘rolezinho’

Jardineiro não pode trabalhar sem o cavalo para puxar sua carroça.

Midiamax Publicado em 17/08/2017, às 18h09

None

Jardineiro não pode trabalhar sem o cavalo para puxar sua carroça.

O jardineiro Reginaldo Trosdolfe dos Santos, de 33 anos de idade, está desconsolado com o desaparecimento do seu cavalo sem raça definida.

O animal simplesmente “virou fumaça” quando foi furtado num terreno localizado na Rua Buritis no bairro Estrela Tovy, na periferia de Dourados. O fato aconteceu no dia 23 de julho.

O cavalo que esta na família de Reginaldo praticamente desde que nasceu há vinte anos era quem puxava a carroça usada nos serviços de jardinagens e pequenos frentes na região onde desapareceu.

Assim que o cavalo sumiu, Reginaldo postou uma nota nas redes sociais pedindo informações sobre o paradeiro do cavalo.

Pouco mais de vinte dias depois do desaparecimento do cavalo um estudante universitário postou numa na página do Facebook intitulado “Segredos UFGD” de que um cavalo estaria no seu quintal e que teria usado o animal para dar um “rolezinho” depois de uma festa universitária.

O assunto ganhou as redes sociais e os amigos de Reginaldo passaram a acreditar que o cavalo que tem um nome impublicável possa realmente estar em poder de algum estudante universitário já que o animal “dorme” nas proximidades de um clube onde sempre acontecem festas.

Reginaldo dos Santos afirmou que no momento não tem dinheiro para comprar outro cavalo e pede que a pessoa que esteja com seu animal faça a devolução. São três gerações da família de Reginaldo que usam cavalo e carroça para o trabalho e ganhar a vida. “Não acredito que alguém possa ter roubado meu cavalo apenas para fazer uma brincadeira de mau gosto”, disse o jardineiro que pretende registrar uma queixa na delegacia pelo furto do animal.

Assista ao vídeo.

Jornal Midiamax