Cotidiano

Superlua não impressiona a olho nu, mas campo-grandenses admiram registros

Tema está sendo comentado nas redes sociais

Midiamax Publicado em 15/11/2016, às 02h25

None
lua5.jpg

Tema está sendo comentado nas redes sociais

Esta segunda-feira (14), marca a menor distância a separar o planeta Terra da Lua em mais de seis décadas. A Superlua, como chama o fenômeno, foi assunto por todo o planeta e em Campo Grande não poderia ser diferente.  Teve gente que se preparou para acompanhar o céu com telescópio, enquanto outros apenas comentaram seus registros fotográficos em redes sociais. Para muitos, a lua não impressionou.  

Uma das apreciadoras foi a vice-governadora Rose Modesto (PSDB). “Campo Grande hoje foi assim: Super Lua e pôr do sol dando um show!”, comentou em sua página social, ao lado de duas fotos publicadas.

Na companhia de amigos, o estudante Ruan Luchina, ultilizou um telescópio para pegar cada detalhe da grande lua. Os registros dele também foram publicados pelo Facebook, e diante dos recursos, muito bem avaliada pelos seus seguidores.

O leitor Valmir Silva Rezende também encaminhou imagens para o Jornal Midiamax. Segundo ele, todas tiradas do Bairro Alves Pereira. Ele não comentou se utilizou algum tipo de recurso para conseguir os registros.

Já o administrador Bruno Sandim utilizou o próprio celular para o registro.”Invejosos dirão que eu não segurei a lua”, brincou ao postar a imagem abaixo.

Superlua não impressiona a olho nu, mas campo-grandenses admiram  registrosEm grupos do Whatsapp, grande parte dos comentários apontam que o fenômeno não impressionou na Capital. Fotos de pão de queijo e montagens também foram utilizados  para brincar com o tema. Pelos comentários em geral, as melhores fotos só estão sendo captadas diante de algum efeito tecnológico, pois a olho nu, não seria possível ver diferença.   

"Não vi super lua nenhuma! Só nuvem! Agora só na próxima encarnação né?", diz um dos comentários. 

Superlua – As chamadas Superluas são relativamente comuns e acontecem em média a cada 14 meses. Elas são assim batizadas quando sua fase cheia coincide com o perigeu – o ponto mais perto da Terra ao longo de sua órbita elíptica.

O fenômeno desta segunda-feira é especial pois a última vez que o satélite chegou assim tão perto da Terra foi em 1948. Segundo os astrônomos, a lua ficará a 356.509 quilômetros da Terra, sendo que a distância normal é de 384.400 quilômetros.

Jornal Midiamax