Cotidiano

Cliente não consegue passar por porta giratória de banco e aciona a polícia

Outras pessoas reclamaram da situação

Kemila Pellin Publicado em 26/01/2016, às 19h20

None
_mg_5622_copy.jpg

Outras pessoas reclamaram da situação

O publicitário Wilson Fontana acionou a policia depois de ser barrado na porta giratória de uma agência do Banco do Brasil, na região do Jardim Tijuca, no começo da tarde desta terça-feira (26). Ele alegou que a porta travou porque a alça da mochila é de metal e os seguranças se recusaram a examinar os compartimentos e liberar a entrada.

Segundo o publicitário, um funcionário da agência até foi chamado, mas repetiu o discurso do segurança, afirmando que tem a recomendação expressa da superintendência de não permitir a entrada de nenhum cliente que seja barrado na porta giratória, independe da situação. “Ele disse que não poderia revistar a bolsa porque isso constrange o cliente, e que se quisesse entrar, teria que deixá-la aqui fora”, destacou.

Uma viatura da PM foi até a agência, mas não conseguiu resolver o impasse, recomendando que Wilson registrasse o Boletim de Ocorrência na delegacia mais próxima. “Eles conversaram como o segurança, daí disseram que a única coisa que poderiam fazer por mim era segurar a bolsa para eu entrar”, explicou indignado.

O publicitário esperou por 1h30 até que seu cliente chegasse e entrasse pessoalmente sacar o cheque para pagar algumas guias que venciam nesta terça-feira.

Mais reclamações

Enquanto conversamos com Wilson, mais três clientes passaram pela mesma situação. Jhonny Mata quase desistiu do atendimento porque a porta travou em três tentativas. “Eu já tirei as chaves do carro, a carteira e as moedas. Não faço ideia do que pode estar acionando o detector de metal”, disse.

A técnica de Biblioteca Lindalva Martins, de 44 anos, também ficou para fora e disse que já está acostumada com a situação. “É sempre assim. A gente tem que vir fora do horário comercial para conseguir sacar dinheiro, porque daí libera a outra porta e não precisa passar por essa coisa aí. Eu acho isso uma humilhação, um constrangimento desnecessário”, protestou ao ir embora sem conseguir sacar o dinheiro.

O Banco do Brasil informou que cumpre as normas de segurança estabelecidas por lei e que o plano de segurança, no qual inclui a utilização de porta giratória detectora de metais, é aprovado pela Polícia Federal. 
Em nota, o banco lamentou o ocorrido e esclareceu que os funcionários recebem treinamento para prestar atendimento sempre respeitoso aos clientes. "O cliente recebeu os esclarecimentos relativos à segurança pelo gerente da agência". (Matéria editada às 17h33 para acréscimo de informações).
Jornal Midiamax