Cotidiano

Apenas metade dos alunos de escola da Capital receberam kit escolar, denuncia servidor

Estudantes do primeiro ao quinto ano ficaram sem materiais 

Caroline Carvalho Publicado em 24/06/2016, às 13h20

Foto: Divulgação/ Prefeitura de Campo Grande
Foto: Divulgação/ Prefeitura de Campo Grande - Foto: Divulgação/ Prefeitura de Campo Grande

Estudantes do primeiro ao quinto ano ficaram sem materiais 

A Semed (Secretaria Municipal de Educação) divulgou que a entrega dos kits escolares começou na semana passada, no dia 14 de junho, e seria feita escola por escola. Porém, não foi o que aconteceu na escola Vanderlei Rosa, no Bairro Novo Maranhão, na Capital. Conforme denúncia de um servidor, apenas os alunos do 6º ao 9º ano receberam os materiais, enquanto os estudantes do 1º ao 5º ano ficaram sem.

Segundo o funcionário, cuja identidade será preservada, aproximadamente 500 crianças da escola não receberam os kits, o que corresponde a cerca de metade dos alunos. “Os pais têm vindo o tempo todo perguntar porque os estudantes não receberam, mas eles tem que ligar na secretaria da educação. A prefeitura está fazendo propaganda enganosa para o povo”, diz.

Procurada pelo Jornal Midiamax, a Semed (Secretaria Municipal de Educação) esclareceu que a entrega dos uniformes e kits escolares está sendo acompanhada pela equipe de técnicos da secretaria para que os itens possam ser conferidos um a um, antes que cada aluno os receba. “No primeiro momento foi priorizado a entrega para os alunos do 6º ao 9º. Os do 1º ao 5º já foram encaminhados na manhã desta sexta-feira”, esclareceu a assessoria. A previsão é que a entrega seja feita até o dia 7 de Julho.

A aquisição dos kits contempla cerca de 84 mil alunos, a partir do 1º ano, e incluem os seguintes materiais: caderno, agenda, caneta, lápis, borracha, apontador, régua, esquadro, transferidor, cola e giz de cera.

Atraso

As aulas da Reme (Rede Municipal de Ensino) começaram em março e os estudantes só começaram a receber os kits em junho, já no fim do primeiro semestre. Ou seja, a entrega começou com quatro meses de atraso.

Em fevereiro, o prefeito Alcides Bernal (PP) garantiu em entrevista que a compra dos materiais já estava em processo licitatório e alegou que a entrega seria feita o mais rápido possível. A Prefeitura justifica o atraso a um desentendimento entre empresários do ramo de papelaria e o Executivo.

Contudo, vale lembrar que este é o terceiro ano consecutivo que os kits são entregues com atraso, que já chegaram a demorar até 90 dias.

(Texto sob supervisão de Gerciane Alves)

Jornal Midiamax