Cotidiano

Morre de câncer mulher mantida em cárcere por 22 anos pelo marido

Sepultamento está marcado para as 15h30 

Midiamax Publicado em 14/04/2015, às 17h40

None
cira_da_silva.jpg

Sepultamento está marcado para as 15h30 

A mulher que foi mantida em cárcere privado pelo marido por anos no Jardim Aero Rancho, em Campo Grande, Cira da Silva, morreu nesta madrugada (14) vítima de um câncer. De acordo com informações de amigos da família, ela estava internada desde março no Hospital do Câncer Alfredo Abrão para tratar um tumor na perna.

Segunda Eliane Maria de Souza, desde que foi salva em 2013, Cira estava feliz e descobrindo o que o mundo poderia lhe oferecer. “Ela tinha muito sonhos, estava frequentando a igreja e queria ser missionária, viajar pelo mundo ajudando outras pessoas”, afirma.

Ainda de acordo com a amiga da família, desde que Cira e seus quatro filhos foram morar com pai dela, tudo estava encaminhando. “O pai dela construiu um casa de dois quartos, sala, cozinha e banheiro. Tudo para ela e os filhos, mas ela não chegou a morar lá”, relata.

Por causa do tratamento que estava fazendo Cira estava morando na casa do pai, que é no mesmo terreno onde ele construiu a casa dela. A dona de casa ficou internada entre janeiro e fevereiro, teve alta e voltou a ser internada em março. “Ela não usou daquilo que era dela, ela não teve o sentimento de falar que estava em casa, na sua casa”.

Eliane afirma que os filhos de Cira, com idade entre 16 e 6 anos, todos meninos, estavam morando no imóvel enquanto a mãe se tratava e que segundo a família, a casa vai ficar para eles. “Os avós e os tios vão cuidar deles, o pai não tem chance nenhuma de chegar perto desses meninos”, garante.

Sepultamento

O sepultamento está marcado para as 15h30 no Cemitério Santo Amaro, que fica localizado Avenida Presidente Vargas, 1.840. O velório segue na Pax Campo Grande, que fica na Rua Doutor Dolor Ferreira de Andrade, esquina com a Rua 13 de Maio.  

Jornal Midiamax