Dourados e Três Lagoas reúnem mais de 30 mil alunos do Estado

A greve dos de escolas estaduais, iniciada nesta quarta-feira (27), pela Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação), ganhou dimensão no interior de Mato Grosso do Sul.

Em Dourados, município que reúne 25 mil estudantes da rede, a paralisação alcançou 90% dos educadores, segundo informações do Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação), da cidade. Ao todo, 3,5 mil professores atuam em Dourados. No entanto, em Três Lagoas, acredita-se que 100% das escolas tenham fechado as portas hoje por causa da greve.

A professora e presidente do Simted do município, Maria Diogo, comentou que uma comissão de greve foi montada para visitar as 13 escolas estaduais da cidade.  “A greve está forte aqui, praticamente 100% das escolas estão fechadas”, disse.

Entretanto, hoje, por meio de nota, a SED (Secretaria de Estado de Educação), afirmou que a greve dos professores não atingiu todas as unidades de ensino. As aulas prejudicadas pela paralisação, segundo informações da secretaria, serão devidamente repostas após o cumprimento do calendário escolar.

“Tem que repor mesmo, sabemos como educadores que os alunos precisam de 200 dias letivos. Mas a greve é um direito do trabalhador, além de ser constitucional”, comentou a professora Maria Diogo.

Hoje pela manhã a Fetems anunciou que 75% das escolas públicas de todo Estado. O presidente da Federação, Roberto Botareli, acredita que o índice de unidades paralisadas deve aumentar conforme a consolidação da greve.

“O primeiro dia de paralisação superou as nossas expectativas, pois geralmente precisamos soltar a greve e depois fazer um trabalho amplo de convencimento e consolidação. Isso mostra claramente que a nossa categoria está indignada com a postura de retrocesso do Governo”, afirmou.