Serviço tem preço equivalente ao de cidades de grande porte

O preço da tarifa do transporte coletivo em Campo Grande disparou, ficando em quinto no ranking nacional, e pior, atrás apenas de cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, que no comparativo simples, como número de habitantes, são de 6 à 10 vezes maiores que a Capital sul-mato-grossense.

Na capital paulista, o preço da passagem para os mais de 11 milhões de habitantes é de R$ 3,50. Já no Rio, os 6,32 milhões de moradores precisam desembolsar R$ 3,40 se quiserem dar uma voltinha de ônibus pela cidade. Em Goiânia, capital do Estado de Goiás, que faz divisa com o leste de MS, e Curitiba, que inspirou a criação do sistema de transporte coletivo em Campo Grande, o preço da passagem é de R$ 3,30.

A capital do país, Brasília, e cidade de Recife, também poderiam entrar na lista das tarifas mais caras, mas como o valor varia dependendo da distância percorrida, optamos por mantê-las fora da contagem. Na primeira as tarifas variam entre R$ 2,25 e R$ 4. Já em Recife, o valor difere entre R$ 1,50 e R$ 3,45. 

Campo Grande, onde o preço foi reajustado na manhã desta quarta-feira (18), passando de R$ 3 para R$ 3,25, divide o quinto lugar do ranking com Porto Alegre (RS). O reajuste não agradou os usuários, que reclamam da má qualidade do serviço prestado, pontuando principalmente a lotação e a demora, como pontos frágeis do sistema de transporte coletivo na cidade.Com alta para R$ 3,25, tarifa de ônibus de Campo Grande é a 5ª maior das capitais

Aroldo Martins Borralho, coordenador do Fórum de Trabalhadores e Usuários no Transporte Coletivo de Campo Grande, explicou que a maior reclamação da população durante as audiências públicas para debater a qualidade do serviço, sempre foram os atrasos, principalmente nas linhas que fazem bairro/centro, e lotação. Segundo ele, o preço da tarifa só entra em discussão porque o serviço não tem a qualidade que deveria. “Quando a pessoa é bem atendida, não reclama de pagar o valor que lhe é cobrado”, argumentou.

Continuando a lista, as cidades de Florianópolis, Belo Horizonte e na capital de Mato Grosso, o preço da tarifa está em R$ 3,10. Na capital mineira a tarifa sofreu redução de valor em setembro desse mês, logo após ser reajustada para R$ 3,40. O valor gerou insatisfação na população e foi novamente reduzido para R$ 3,10.

Na sequencia aparece a cidade de Manaus (R$ 3,10), Rio Branco (R$ 2,90), Boa Vista (2,80), Maceió e Fortaleza (R$ 2,75) Recife (R$ 2,45) e Vitória ( R$ 2,40).

Dados

De acordo com a Prefeitura de Campo Grande, hoje 593 veículos circulam pelas ruas da cidade, divididos em 147 linhas e transportando uma média diária de 260 mil passageiros. A manutenção do transporte público é feita anualmente, ou quando um passageiro relata algum problema. (Matéria editada às 17 horas para correção de informações)