Cotidiano

Ajuda chega a bairros arrasados por tornados nos EUA

Equipes de emergência americanas e milhares de voluntários tentavam neste sábado em meio aos escombros fornecer ajuda a milhares de pessoas atingidas pela passagem dos piores tornados em quase um século nos Estados Unidos, que deixou pelo menos 350 mortos. Equipes de emergência utilizando cães farejadores de corpos, trabalhavam em Tuscaloosa e em outras cidades […]

Arquivo Publicado em 01/05/2011, às 15h21

None

Equipes de emergência americanas e milhares de voluntários tentavam neste sábado em meio aos escombros fornecer ajuda a milhares de pessoas atingidas pela passagem dos piores tornados em quase um século nos Estados Unidos, que deixou pelo menos 350 mortos.


Equipes de emergência utilizando cães farejadores de corpos, trabalhavam em Tuscaloosa e em outras cidades do Alabama em busca de novas vítimas.


Ainda não se sabe o número exato de desaparecidos, já que “muitas pessoas que são localizadas por seus familiares não informam a polícia logo depois”, disse o prefeito de Tuscaloosa, Walt Maddox.


Cerca de 2.000 pessoas ficaram feridas no Alabama nesta que se tornou a segunda onda de tornados mais mortífera da história dos Estados Unidos, após a registrada em março de 1925, que deixou 747 mortos.


Em Tuscaloosa, uma das regiões mais afetadas, cerca de 800 reservistas da Guarda Nacional foram mobilizados para proteger propriedades que ficaram literalmente partidas ao meio, sem paredes e com todos os pertences dos moradores esparramados.


“Temos ainda muitas semanas de trabalho pela frente. Isto é uma montanha de nada, só escombros por todos os lados”, disse à AFP Charlie Heins, que trabalhava com uma retroescavadeira em uma casa destruída.


A Agência de Gerenciamento de Emergências do Alabama (EMA) disse que a prioridade são os “trabalhos de busca e de recuperação” de pessoas.


Grande parte da cidade de Tuscaloosa e outros distritos do estado continuava sem energia elétrica, telefone e água, informou a agência.


“Vim ajudar meu amigo a juntar suas coisas. Perdeu os computadores onde tinha todos os seus arquivos com projetos e estudos de engenharia”, contou à AFP Rick Manson, estudante de Engenharia Civil da Universidade do Alabama.


Os esforços de assistência foram muito dificultados pelos danos sofridos por muitas nos prédios de muitas instituições encarregadas de fornecer ajuda, como bombeiros, delegacias de polícia e agências locais de emergências.


“É muito difícil coordenar porque muitas das pessoas e edifícios afetados são os mesmos que são procurados nestes casos para que ajudem”, disse a irmã Carol Ann Gray, dos Serviços Sociais Católicos.


Centenas de voluntários percorriam as ruas de Tuscaloosa neste sábado entregando água e comida aos desabrigados.


“Todos estão ajudando de alguma forma. E como sou bom fazendo churrasco, aqui estou fazendo o melhor que posso”, disse Tim Clements, que cozinhava hambúrgueres para as pessoas afetadas.


Funcionários das companhias de eletricidade trabalham sem parar, tentando substituir os semáforos arrancados pelo vento e reparando linhas de energia.


Cerca de 650.000 pessoas permaneciam sem luz este sábado no Alabama, segundo a companhia local de energia.


Vários estados da região foram atingidos pela série de tornados e tempestades dos últimos dias. Além do Alabama, as vítimas foram numerosas em Mississipi, com 34 mortos, Tennessee, também com 34, Geórgia, com 15, Arkansas, com 8, e Virgínia, com 5.

Jornal Midiamax