Fãs que foram ao show da cantora Taylor Swift nessa sexta-feira, 17, no Rio, relataram nas redes sociais problemas com o calor, o veto à entrada de água e a falta de organização no Estádio Engenhão. Uma jovem de Mato Grosso do Sul, Ana Clara Benevides, 23, morreu após passar mal antes de a artista americana subir no palco. Taylor chegou a pedir a distribuição de água para a plateia, que estendia cartazes e gritava reclamando da desidratação.

As equipes de atendimento tiveram de socorrer várias pessoas que passaram mal e até desmaiaram durante a noite. Nessa sexta, a sensação térmica no Rio ficou perto dos 60ºC e a cantora tem novas apresentações previstas para este sábado, 18, e este domingo, 19. O Estadão entrou em contato om a Tickets for Fun, que produz o show no Brasil, mas não obteve retorno.

No X (antigo Twitter), Bel Rodrigues relata ter precisado de atendimento depois de se sentir mal. “Tontura, visão embaçada, tremedeira e sensação de desmaio”, enumera, que só conseguiu assistir a uma parte do show. “É bobo, eu sei, mas quando você espera a vida toda por um show, se planeja e a fins, é muito frustrante não conseguir ter domínio do seu corpo”, acrescentou.

Também no X, Igor Paiva diz que houve problemas com a organização das filas e dificuldades de obter informações. Além disso, a ventilação no espaço estava prejudicada. “O Estádio Olímpico Nilton Santos possui em sua estrutura vãos e áreas para promover a circulação do ar nas arquibancadas e nas pistas. Todas elas estavam cobertas por tapume, o que prejudicou – e muito – a ventilação do ambiente”, escreveu.

Preço alto na água

Segundo os relatos, o preço de um copo de água (350 ml) era de R$ 8 e não havia bebedouros disponíveis para os fãs. A equipe da artistas chegou a distribuir água para fãs que estavam próximos à grade, conforme as publicações nas redes, e Taylor pediu mais de uma vez que fosse dada água para o público.

Os fãs citaram ainda a proibição a leques dentro do estádio. “Sem contar as arquibancadas LOTADAS e as pessoas ocupando todas as escadas. Impossível depois de uma certa hora ir no banheiro ou comprar água. Uma desorganização sem igual!!!”, escreveu Ju Louro.

O ministro da Justiça, Flávio Dino, disse ter determinado à Secretaria Nacional do para editar normas e emergenciais sobre o acesso à água em shows e outros espetáculos públicos. Também disse que vai adotar medidas de responsabilização relativas aos danos já causados.

Já na manhã deste sábado, foi criado um abaixo-assinado que reivindica a criação da Lei Ana Benevides, que prevê água gratuita em eventos.