A Polícia Federal confirmou que os seis alvos de mandado de preventiva na Operação Venire já foram presos. A PF investiga fraude em cartões de vacinação de Jair Bolsonaro, da filha e de mais três pessoas.

De acordo com a Polícia Federal, estão presos:

  • o coronel Mauro Cid Barbosa, ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro;
  • o policial militar Max Guilherme, que atuou na segurança presidencial;
  • o militar do Exército Sérgio Cordeiro, que também atuava na proteção pessoal de Bolsonaro;
  • o secretário municipal de Governo de Duque de Caxias (RJ), João Carlos de Sousa Brecha;
  • sargento do Exército Luís Marcos dos Reis, ex-integrante da equipe de Mauro Cid;
  • Ailton Gonçalves Moraes Barros, candidato a deputado estadual pelo PL-RJ em 2022.

Além do cartão de vacinação do ex-presidente, também foram fraudados os documentos da filha dele, Laura de 12 anos, do ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, Mauro Cid, da esposa e da filha dele.

O objetivo da adulteração foi incluir vacinações que não foram tomadas por eles para que a entrada nos Estados Unidos fosse liberada, visto que durante a pandemia o país exigia imunização para estrangeiros.

Jair Bolsonaro viajou aos Estados Unidos em 30 de dezembro de 2022, às vésperas de deixar o governo, e voltou ao Brasil em 30 de março deste ano.

Alvos de mandados de busca e apreensão

Além das ordens de prisão, os agentes da PF também cumprem 16 mandados de busca e apreensão.

  • Jair Messias Bolsonaro, ex-presidente da República
  • Mauro Cesar Barbosa Cid, tenente-coronel, ex-ajudante de ordens de Bolsonaro
  • Gabriela Santiago Ribeiro Cid, esposa de Mauro Cid
  • Gutemberg Reis de Oliveira, deputado federal pelo MDB-RJ
  • Luís Marcos dos Reis, sargento do Exército, ex-integrante da equipe de Mauro Cid
  • Farley Vinicius Alcântara, médico que teria envolvimento no esquema
  • João Carlos de Sousa Brecha, secretário de Governo de Duque de Caxias (RJ)
  • Max Guilherme Machado de Moura, segurança de Bolsonaro
  • Sergio Rocha Cordeiro, segurança de Bolsonaro
  • Marcelo Costa Câmara, assessor especial de Bolsonaro
  • Eduardo Crespo Alves, militar
  • Marcello Moraes Siciliano, ex-vereador do RJ
  • Ailton Gonçalves Moraes Barros, candidato a deputado estadual pelo PL-RJ em 2022
  • Camila Paulino Alves Soares, enfermeira da prefeitura de Duque de Caxias
  • Claudia Helena Acosta Rodrigues Da Silva
  • Marcelo Fernandes de Holand

Operação Venire

A casa de Bolsonaro é alvo de buscas nesta manhã. Os celulares de Bolsonaro e de foram apreendidos, de acordo com a Globo News. Ao todo, 16 mandados de busca e apreensão e 6 de prisão preventiva são cumpridos.

De acordo com a Polícia Federal, não há mandado de prisão contra o ex-presidente. A corporação apura a atuação de uma associação criminosa que tinha como prática inserir dados falsos de vacina contra a nos sistemas do Ministério da Saúde.

“Com isso, tais pessoas puderam emitir os respectivos certificados de vacinação e utilizá-los para burlarem as restrições sanitárias vigentes imposta pelos poderes públicos (Brasil e Estados Unidos) destinadas a impedir a propagação de doença contagiosa, no caso, a pandemia de covid-19”, diz a PF em nota.

As ações ocorrem dentro do inquérito policial que apura a atuação do que se convencionou chamar “milícias digitais”, em tramitação perante o Supremo Tribunal Federal. E, segundo a PF, quatro crimes são investigados: infração de medida sanitária preventiva, associação criminosa, inserção de dados falsos em sistemas de informação e corrupção de menores.