O Ministério da confirmou, nesta segunda-feira (5), o primeiro foco de influenza aviária de alta patogenicidade (H5N1) no Estado de . A ave silvestre da espécie Thalasseus maximus (trinta-réis-real) foi encontrada no município de Ubatuba, no litoral norte paulista.

Também foi detectado mais um foco no Rio de Janeiro, em Niterói, igualmente na espécie Thalasseus maximus.

Ao todo são 24 confirmações de focos em aves silvestres nos Estados do Espírito Santo, Rio de Janeiro, e São Paulo. No entanto, destaca o ministério em comunicado, o Brasil continua livre de influenza aviária na criação comercial e mantém seu status de livre de influenza aviária, exportando seus produtos para consumo de forma segura. O consumo de carne e ovos se mantém seguro no País.

O governo reforça que todos estabelecimentos ou criações de aves num raio de 10 km dos focos nos Estados são investigados e orientados quanto às medidas de prevenção, conforme prevê o Plano de Contingência de IAAP do Departamento de Saúde Animal. As ações para detecção, vigilância e prevenção da ocorrência do vírus no Brasil continuam ocorrendo de forma conjunta entre o Ministério da Agricultura, o Ministério do (ICMBio e Ibama) e o Ministério da Saúde.

O Ministério da Agricultura reitera que a população evite contato com aves doentes ou mortas. Caso encontre alguma na sua região, acione o serviço veterinário local mais próximo ou realize a notificação por meio do e-Sisbravet.