Na tarde de sexta-feira (27), o corpo da pastora e cantora gospel, Sara Mariano, que estava desaparecida deste de terça-feira (24), foi encontrado em uma área de mata, às margens da BA-093, na altura de Dias D’Ávila, cidade da Região Metropolitana de Salvador. Segundo a Polícia Civil, Ederlan Mariano, esposo da vítima, é quem reconheceu o cadáver.

Ele esteve no local em que o corpo foi encontrado e disse ter reconhecido um anel e uma sandália de Sara. Segundo testemunhas, o corpo estava parcialmente queimado. Ederlan havia contado à polícia que a cantora tinha saído de casa no dia do seu desaparecimento para participar de um encontro de mulheres, mas não sabia em qual igreja aconteceria o evento.

Na quinta, Dolores Freitas, mãe de Sara, revelou que, na véspera do desaparecimento, a filha teria dito que precisava conversar sobre um assunto sério, mas nunca teve a oportunidade de dizer o que era.

Desesperada, Dolores tem usado suas redes sociais para pedir ajuda para que a filha volte em segurança para a casa. O vídeo foi publicado pela irmã de Sara, Soraya Correia.

“Estou aflita, muito triste. Está todo mundo desesperado. Até uma data dessa ninguém encontrou ela. Ô, minha gente, por favor. Nenhuma mãe quer perder uma filha de uma forma dessa”, desabafou a mãe de Sara.

Sobre a afirmação do genro, Dolores questiona se deve ou não acreditar que ele de fato não sabia para qual congregação ela estava indo na noite em que desapareceu.

“Eu fico preocupada, sem saber e acreditar em uma coisa dessa. Como é que esse marido não sabe o nome da igreja que a esposa foi?”, questionou.

Marido foi preso após confessar o crime

Na madrugada deste sábado (28), menos de 24h após fazer o reconhecimento do corpo da esposa, Ederlan Santos Mariano confessou ter cometido o crime. Ele está na carceragem da 25ª Delegacia Territorial, em Dias D’Ávila, na Região Metropolitana de Salvador.

No entanto, segundo informações da decisão da Justiça, a prisão dele é temporária, com prazo de 30 dias. Além disso, foi decretado um mandado de busca domiciliar na casa em que vivia com a vítima e a filha do casal.

Ederlan, inclusive, deu uma entrevista para a TV Bahia, na última quinta-feira (26), sobre o desaparecimento da esposa e explicou que a participação da cantora no encontro de mulheres teria sido fechada diretamente por ela, e por isso ele ainda não tinha conseguido descobrir quem eram os responsáveis pelo evento. Ele ainda afirmou que o chip de celular dela foi desativado no início da noite de quarta (25), o que estaria dificultando as buscas.

Ederlan contou também que Sara nunca havia desaparecido e que entre o casal não houve brigas nos dias que antecederam o desaparecimento. No entanto, quando o jornalista perguntou sobre uma possível campanha de que o empresário teria feito nas redes sociais para ajudar nas buscas da esposa, ele deixou a entrevista.

Áudio enviado por Sara revela que marido queria comprar uma arma

Em um áudio enviado para sua irmã, Soraya Correia, a cantora afirmou que seu marido queria comprar uma arma. Ela ainda reforçava que, caso isso acontecesse, terminaria seu com o empresário.

Para a irmã, ela explicou que descobriu as intenções do marido de comprar a arma ao flagrar uma conversa dele com um homem, que seria responsável pela venda.

“Aí puxei conversa e ele disse que o cara com o rosto queimado estava ‘trazendo uma arma para me ver, porque eu quero comprar uma arma’. Aí eu disse: ‘Se tu comprar uma arma, me separo de tu, porque do jeito que tu é, sem arma já destrói tudo, imagina com arma'”, disse Sara no áudio.

“Ele disse: ‘Não, Deus me livre’, eu mesmo não’. Mas eu já disse para ele, se ele comprar uma arma, eu vou embora sem ele nem ver, porque eu não tenho um pingo de confiança nele. Sem arma já destrói tudo, imagina com arma?”, desabafou a cantora.

“Mas mulher, eu creio, a irmã da Universal já tinha até falado: ‘Ele não vai tocar em você não, porque Deus não vai deixar’. Em nome de Jesus, mas creio que Jesus vai resolver, porque já entreguei a Deus e ele tem que resolver”, disse ela.

No áudio ela ainda disse confiar muito na de Deus e que não queria “tomar uma decisão precipitada”.

“Estou no aguardo de Deus responder, mas tenho que agir com ele normal, de bem, entendeu? Não tenho um pingo de confiança, mulher”, ressaltou ela.

“Ele vira um monstro. Tudo que a senhora falou, eu estava até conversando com uma senhora da igreja, aí contei que a senhora não gosta dele, contei as histórias e a irmã da Universal disse: ‘Meu Deus, não acredito, é mesmo? Ele faz as pessoas gostar deles, conquista as pessoas’. Aí eu disse: ‘Pois é”, concluiu.

Amigo de Sara afirma que não houve evento

Um amigo de Sara, e também pastor, foi à delegacia e revelou que não havia qualquer evento programado em igrejas evangélicas na cidade.

“Quando ficamos sabendo dos fatos e pelo horário que foi divulgado que ela vinha para um evento “Rosa” [para mulheres] em Dias D’Ávila, veio [à polícia] dizer que não havia nenhum evento na cidade, em nenhuma igreja, no horário que foi comentado a respeito da saída dela [de casa], às 21h30, para vir em um culto aqui na cidade”, explicou o homem.

A esposa de André Santos, pastor e amigo de Sara, Danúbia Silva, também revelou que estranhou o desaparecimento da pastora e principalmente por ela ter saído para ir ao evento sem a filha do casal, de 11 anos.

“Todo lugar que ela vai é com a filha. Às vezes ele [marido de Sara] acompanhava ela. Na nossa igreja ela esteve duas vezes com ele e outras duas com a filha”, relatou a mulher.

Quem era Sara?

Sara era uma pastora e cantora gospel de 35 anos, com quase 90 mil seguidores em seu Instagram, onde compartilha conteúdos de ministrações de cultos, louvores e de sua vida pessoal.

Ela era casada com Ederlan Mariano, com quem tinha uma filha de 11 anos. A família morava no bairro de Valéria, na capital baiana e juntos comandavam a “TV Shalom”, um canal na internet onde produziam conteúdos cristãos. Todos os trabalhos de Sara eram empresariados pelo marido.

Com informações do Portal G1.

Saiba Mais