Programa já prevê 5 mil unidades no total, mas o deputado estadual Paulo Corrêa, presidente da Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul), quer mais 5 mil. O programa CNH (Carteira Nacional de Habilitação) Social poderá ter mais 5 mil unidades gratuitas na categoria A, que é voltada para motociclistas. Pelo menos é o que defende o deputado estadual Paulo Corrêa, presidente da Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul). Na sessão realizada nesta terça-feira (19), ele fez o pedido ao governador Reinaldo Azambuja.

A alegação apresentada por Paulo Corrêa é de que há um total de 70 mil pedidos feitos em todo o Estado, segundo informações fornecidas pelo Detran-MS (Departamento Estadual de de Mato Grosso do Sul). O deputado, que considera o projeto “maravilhoso”, reforçou que fará o pedido ao governador. Para Corrêa, a iniciativa seria voltada exclusivamente para motoentregadores que estão sem CNH e que são de baixa renda. “Isso traria mais pessoas para a legalidade após um período difícil de pandemia”, sugeriu Corrêa.

Dados do governo do Estado apontam que as vagas deste ano serão distribuídas em 2.280 para categoria A, 1.425 vagas para B, 1.045 vagas para categoria AB e 250 vagas para C e D, das quais 1.650 serão distribuídas para Campo Grande, 800 para Dourados e região, 300 para e região, 300 para Três Lagoas e região, 300 para Ponta Porã e região, 250 para Paranaíba e região, 250 para municípios da região da Capital, 250 para e Ladário, 250 para e região, 250 para e região, 200 para Jardim e região e 200 para e região.