Atual presidente do Senado Federal, (DEM-AP) está confiante que seu candidato, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), vencerá Simone Tebet (MDB-MS). Tanto que pretende aceitar o convite para assumir o comando de um ministério do governo de Jair Bolsonaro.

Ele acredita, segundo a CNN Brasil, que conquistará o mérito da eventual vitória de Pacheco. Por imposição de aliados do mineiro, Alcolumbre não deve compor a chapa de Pacheco como vice.

Dessa forma, o amapaense confia que a opinião pública o favorecerá para assumir um ministério. Desenvolvimento Regional, Minas e Energia e a Secretaria de Governo estão entre as opções.

O cogitou ainda oferecer o Ministério da Saúde, mas Alcolumbre rejeita assumir o cargo em meio à de Covid-19. Outro fator preponderante é que, caso Alcolumbre se afaste para ser ministro, o irmão Josiel assume a cadeira de senador.

Josiel foi candidato à prefeitura de Macapá (AP), mas foi derrotado por Antônio Furlan (Cidadania) no segundo turno.

Bolsonaro ofereceu um ministério a Alcolumbre no mês passado. De início, ele recusou, mas reconsiderou a ideia após Pacheco formar um grande arco de apoio. Procurado pela CNN, ele não quis se manifestar.