Brasil

STF volta a derrubar contas bolsonaristas no Twitter

O STF (Supremo Tribunal Federal) conseguiu nesta sexta-feira (24), após decisão do ministro Alexandre de Moraes, derrubar pelo menos 16 contas no Twitter de aliados ligados ao presidente Jair Bolsonaro. A decisão faz parte do inquérito que apura fake news e ameaças a ministro do Supremo. O Twitter respondeu à imprensa destacando que “agiu estritamente […]

Vinícius Costa Publicado em 24/07/2020, às 13h47

Líder do Grupo, Sara Winter foi presa por ordem do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, em junho. (Foto: Reprodução, Metrópoles)
Líder do Grupo, Sara Winter foi presa por ordem do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, em junho. (Foto: Reprodução, Metrópoles) - Líder do Grupo, Sara Winter foi presa por ordem do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, em junho. (Foto: Reprodução, Metrópoles)

O STF (Supremo Tribunal Federal) conseguiu nesta sexta-feira (24), após decisão do ministro Alexandre de Moraes, derrubar pelo menos 16 contas no Twitter de aliados ligados ao presidente Jair Bolsonaro. A decisão faz parte do inquérito que apura fake news e ameaças a ministro do Supremo.

O Twitter respondeu à imprensa destacando que “agiu estritamente em cumprimento a uma ordem legal proveniente de inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF)”.

Entre as contas que foram suspensas nesta sexta, estão da ativista Sara Winter, líder de um grupo para apoio ao presidente e do ex-deputado Roberto Jefferson, e dos blogueiros Allan dos Santos e Bernardo Küster.

Há dois meses, em maio deste ano, Alexandre de Moraes determinou o bloqueio de contas nas redes sociais para que houvesse interrupção dos discursos de ódio com conteúdo de ódio.

Jornal Midiamax