Técnico tinha projeto que atendia 60 meninos de famílias carentes

O pequeno município de Ribeirão Branco, no interior de São Paulo, com cerca de 18 mil habitantes, vive um trauma causado pela prisão do treinador de futebol Altamir Pontes de Matos, preso nesta quarta-feira (23) acusado de ter cometido abusos sexuais contra 17 meninos, com idade de nove a doze anos.

Matos tinha um programa social para ensinar futebol a garotos de famílias carentes que atendia diretamente 60 meninos. O treinador tinha a confiança dos moradores da cidade, de escolas e recebia apoio da comunidade religiosa da Igreja Água Viva.

Muitas das vítimas moravam longe do local onde o projeto era desenvolvido. Por isso, o treinador sugeria às famílias que deixassem que as crianças dormissem no local. Confiantes no treinador, pais e mães consentiam ao pedido.

Mas tudo mudou depois de um dos garotos contar que foi estuprado pelo treinador para a coordenadora de uma escola de Ribeirão Branco, na sexta-feira passada (18). Após ser acionado, o Conselho Tutelar entrou em contato com outros garotos do projeto, e encontrou nove vítimas em uma só ação.

O IML (Instituto Médico Legal) de Ribeirão Branco confirmou o de onze garotos treinados por Matos, e recebeu relatos de outras seis agressões, que envolvem assédios físicos, masturbação e sexo oral. De acordo com a Polícia Civil, o treinador pode pegar até 90 anos de prisão se condenado pelo estupro de tantas crianças.Cidade de SP se choca com treinador de futebol que estuprou 17 garotos

“Uma criança foi falando para outra. A gente levou os garotos até a delegacia, e lá eles foram delatando tudo. Ele dizia que ia treinar as crianças no futebol e que pretendia tirar crianças das drogas”, explicou Josiane Teodoro, conselheira do Conselho Tutelar de Ribeirão Branco.

A Prefeitura de Ribeirão Branco tem encontrado dificuldade para lidar com o caso, já que apenas uma psicóloga contratada pode atender os 17 meninos. Eles recebiam ameaças de que o técnico poderia matar seus parentes caso denunciassem as agressões. Uma das vítimas chegou a tentar suicídio.

Matos foi preso na quarta-feira, após ter registrado um boletim por agressão por ter sofrido um linchamento na terça-feira (22), um dia depois do IML divulgar o laudo confirmando os estupros. O treinador nega as acusações. “Estou com a consciência limpa e vou provar minha inocência”, declarou ele.