Le Blog Maria Antonia

Bispos católicos aprovam redação de uma declaração que pode impedir Biden de comungar

Por que bispos americanos querem impedir Biden de comungar

Le Blog Maria Antonia Publicado em 22/06/2021, às 07h56

Foto : Reprodução
Foto : Reprodução

Joe Biden, presidente dos EUA, é o segundo católico em toda a história americana a ocupar esse cargo. O primeiro havia sido John Kennedy. Enquanto muitos católicos celebraram a presença de Biden na Casa Branca, isso gerou o que alguns bispos americanos descrevem como situação "difícil": Biden apoia o direito ao aborto, que é legal nos EUA, mas condenado pela Igreja Católica. Essa postura levou parte da liderança da Igreja americana a propor que Biden, um católico fervoroso, que vai à missa todos os domingos, e já afirmou que sua fé católica serve como "âncora", e outros políticos que defendam o direito ao aborto sejam impedidos de receber a comunhão.

O debate vem gerando divisões e foi discutido na reunião virtual da Conferência do dos Bispos Católicos dos EUA, que abordou o significado da Eucaristia e a situação de políticos católicos pró-aborto.

Depois do debate online que durou três dias, a Conferência Episcopal dos Estados Unidos aprovou com 168 votos a favor, 55 contra e seis abstenção, a redação de um documento sobre o “significado da Eucaristia na vida da Igreja”, que orientará os bispos sobre como lidar com políticos católicos que defendam publicamente ideias que colidam com a doutrina eclesiástica, como o direito ao aborto. Por de trás da iniciativa estão bispos mais conservadores, que querem deixar escrito que os políticos católicos que reconheçam o direito ao aborto não devem poder comungar.

A Declaração será votada em novembro.

Fotos : Reprodução

Jornal Midiamax