Variedades / Saúde

Sem solução? Leitor flagra ‘sujeira’ de pombos em posto de saúde

Sesau tenta controlar, mas aves voltam ao local

Wendy Tonhati Publicado em 05/05/2017, às 14h39

None
6d1439d8-6d97-4ae2-b9b9-beb5ef5a08a7.jpg

Sesau tenta controlar, mas aves voltam ao local

As cadeiras que ficam na recepção da UBS (Unidade Básica de Saúde) do Bairro Aero Rancho ficaram tomadas por fezes de pombos, na manhã desta sexta-feira (5). A situação foi registrada por um leitor do Jornal Midiamax que levava a avó para receber atendimento médico.

“Durante a triagem até o atendimento médico temos que ficar juntos aos pombos e às suas fezes. O ambiente se torna insalubre e com condições enormes de piorar o quadro clinico dos pacientes”, diz o leitor Bruno Barbosa.

O leitor diz ter questionado os servidores e foi informado que eles fazem a limpeza, mas que mesmo com telas, as aves continuam a entrar na unidade de saúde. “Fiquei 2 horas desde a entrada até a saída e não vi nenhuma vez alguém passar para realizar uma limpeza. Mesmo depois da reclamação”, afirma.

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), informou ao Jornal Midiamax que no início do ano foi feito o manejo parcial dos pombos e colocadas telas de proteção. Entretanto existe uma população grande de pombos na região e eles acabam achando brechas e voltam a se alojar no telhado da unidade.

Essa é uma situação recorrente devido à grande quantidade de animais que se alojam nas redondezas da unidade e se proliferam justamente pela facilidade de achar alimento. Muitos moradores e os próprios pacientes alimentam esses animais, o que não é recomendado e acaba atraindo eles para aquele local. Assim como em outras unidades, a Sesau determinou medidas para evitar a infestação destes animais e assim evitar que voltem a se alojar”, informou por meio de nota.

No dia 24 de abril deste ano, o contrato entre a Prefeitura de Campo Grande e a empresa Mega Serv –  empresa que presta serviços gerais às unidades públicas de saúde da Capital – foi prorrogado até o fim de julho deste ano. A prorrogação do contrato terá um aditivo de R$ 4,2 milhões para cobrir o tempo de serviço. 

Segundo dados do Portal da Transparência, a Mega Serv recebeu da Prefeitura R$ 12,3 milhões no último ano em despesas empenhadas e pagas. Ainda foram empenhados R$ 1 milhão que não foram liquidados naquele ano.

Histoplasmose

O problema da ‘invasão’ dos pombos nas unidades de saúde não é novo. A UPA (Unidade de Ponto Atendimento) Vila Almeida já teve de ser fechada para que telas fossem instaladas e feita limpeza por conta dos dejetos dos pombos. No Hospital Regional Rosa Pedrossian, a presença de pombos foi registrada em vídeo enviado por leitores do Jornal Midiamax.

No mesmo hospital, um encanador disse ter ficado doente com histoplasmose e tuberculose. As doenças podem ser surgido devido à inalação de fungos contidos nas fezes de pombos.

WhatsApp: fale com os jornalistas do Midiamax

O leitor enviou as imagens ao WhatsApp do Jornal Midiamax no número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.

Jornal Midiamax