Campo Grande ganha 10 leitos de UTI neonatal com assinatura de convênio

A previsão é que até o dia 8 de junho os novos leitos estejam prontos para funcionar
| 28/05/2015
- 22:46
Campo Grande ganha 10 leitos de UTI neonatal com assinatura de convênio

A previsão é que até o dia 8 de junho os novos leitos estejam prontos para funcionar

A Maternidade Cândido Mariano ganha nesta sexta-feira (29)mais dez leitos de UTI neonatal a partir de um convênio que será formalizado pela Prefeitura Municipal de Campo Grande. Com o convênio a capacidade de atendimento da maternidade será dobrada.

A ativação dos novos leitos destinados a recém-nascidos prematuros vai gerar um custo mensal de R$ 390 mil, rateado entre Prefeitura e Estado. A soma inclui o custo da locação dos equipamentos  que será de R$ 55 mil, além dos salários dos profissionais que atuarem em regime 24 horas, entre médios, enfermeiro e técnicos de enfermagem. A previsão é que até o dia 8 de junho os novos leitos estejam prontos para funcionar.

Segundo superintendente da Secretaria Municipal de Saúde Público, Virgilio Guimarães, a ampliar a oferta de vagas para o atendimento de prematuros é uma medida que vai impactar diretamente no índice de mortalidade infantil. “De acordo com o Ministério da Saúde, a prematuridade é a principal causa de morte no primeiro mês de vida – cerca de 70% dos óbitos de crianças ocorrem nos primeiros 28 dias após o nascimento. Atualmente, a taxa de mortalidade de crianças abaixo de 1 ano é de 8,5 por mil nascidos vivos”.

Campo Grande conta hoje com 40 leitos de UTI neonatal, distribuídos entre a Maternidade, o Hospital Regional e a Santa Casa. É uma quantidade insuficiente, porque além de atender a demanda da Capital, recebe pacientes de todo o Estado, já que no interior, só Dourados dispõe destes leitos.

Na maternidade, que passará a contar com 20 leitos, há ainda 16 unidades intermediárias, para onde são encaminhados os bebês após o período mais crítico do tratamento. Ainda neste ano, esta planejada a abertura no segundo semestre de mais 30 leitos de UTI.

Normalmente, explica o superintendente da Sesau, o prematuro fica até 5 dias na UTI e à medida que reage ao tratamento, é transferido para uma unidade intermediária onde fica até ter alta. Com relação aos números de prematuros, o Brasil está em décimo lugar entre os países em que mais nascem bebês antes do prazo, o que o coloca no mesmo patamar dos países de baixa renda, onde a prevalência é de 11,8%. Nas nações de renda média, o percentual é de 9,4%, segundo o relatório “Born too Soon” divulgado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) no ano passado. Em 2010, 15 milhões de crianças nasceram prematuras em todo o mundo.

Bebê prematuro é aquele que nasce com até 36 semanas e seis dias de gestação e também pode ser chamado de pré-termo. O prematuro é classificado de acordo com a idade gestacional, limítrofe, nascido entre 37 e 38 semanas, moderado: nascido entre 31 e 36 semanas e prematuro extremo: nascido entre 24 e 30 semanas.

Veja também

Multivacinação estará disponível para crianças e adolescentes de até 14 anos de idade

Últimas notícias