Variedades

Viver em Campo Grande é também receber visitas de tucanos no trabalho. Vídeo!

Aves procuram novo habitat na cidade

Tatiana Marin Publicado em 21/03/2018, às 09h00

None

Aves procuram novo habitat na cidade

Viver em Campo Grande é também receber visitas de tucanos no trabalho. Vídeo!

Uma das regiões mais afortunada com a presença deste pássaro de enorme e alaranjado bico é o bairro Jardim dos Estados. Os bichinhos aparecem constantemente e descansam no parapeito dos prédios, sem saber que estão dando show para pessoas que, por alguns instantes, param para fotografá-los e filmá-los.

É assim no consultório do dentista Marco Polo Siebra, que atende no quinto andar de um prédio que fica na rua Quinze de Novembro. “É maravilhoso, é uma benção. Dá uma sensação de harmonia, de paz. Os pacientes não acreditam. Com esta vista o meu consultório já ficou uma coisa ímpar, na vida de 26 anos de profissão, e com a presença deles, ficou mais maravilhoso”, conta.

No mesmo prédio, um pouco abaixo, no terceiro andar, o analista de infraestrutura Luiz Peralta, também testemunha a atuação dos tucanos que parecem apreciar o próprio reflexo nas vidraças. Quanto o pássaro aparece, acaba virando assunto entre todos os 8 funcionários da empresa de tecnologia. Mas Luiz confessa que tem vezes que a algazarra incomoda. “Às vezes é chato, ficam batendo, bicando a janela. Alguns ficam brigando com o reflexo no vidro, mas o pessoal no escritório ama”, relata. “É uma interação interessante e acaba descontraindo”, acrescenta.

Um tucano que tem até nome

Na mesma região, também na rua Quinze de Novembro, no início de 2017, um escritório de advocacia costumava ser frequentado por um tucano. No corrimão da escada, ele parecia estar admirando o próprio reflexo no vidro espelhado e era xodó dos funcionários.

Tuco, admirando seu reflexo. (Foto - Cleber Gelio)

Os funcionários do local chegaram a batizá-lo de Tuco e quando ele aparecia todos vinham para fazer fotos do bicho. Uma das pessoas que trabalha no local, responsável pela limpeza, contou na época que eram dois os tucanos que descansavam no local, porém um deles se machucou ao se chocar contra o vidro. Ele chegou a ser levado para um hospital veterinário, mas acabou morrendo.

Novo habitat

Segundo a professora Neiva Guedes, docente do Programa de Pós-graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional da Uniderp e presidente do Instituto Arara Azul, as aves mais exóticas vieram para a cidade em busca de um novo habitat, fugindo do desmatamento.

“Os tucanos vieram para Campo Grande na carona das araras e hoje a gente tem em todo canto da cidade. Eles se reproduzem com facilidade e assim como as araras adaptaram-se ao meio urbano”, conta a professora Neiva Guedes, docente do Programa de Pós-graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional da Uniderp e presidente do Instituto Arara Azul.

Assista aos vídeos feitos no prédio localizado na rua Quinze de Novembro.

Jornal Midiamax