O ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump venceu o caucus republicano (que funciona como uma prévia das eleições presidenciais) em Nevada nesta quinta-feira, 8. O partido realizou dois tipos de prévias no Estado: o caucus e uma primária, na terça, 6,em que Nikki Haley, rival de Trump, ficou em segundo lugar – quem “venceu” foi a opção “nenhuma das anteriores”.

No discurso realizado em Las Vegas após a vitória no caucus, Trump debochou de sua concorrente ao parabenizar “nenhuma das opções acima” pela “vitória”. Trump e Haley estão competindo pela a vaga do Partido Republicano para concorrer às eleições presidenciais. No Estado de Nevada, duas disputas são possíveis, o caucus ou a primária. Haley participou das primárias, enquanto Trump escolheu o caucus.

Trump deve ganhar a maioria, se não todos, dos 26 delegados de Nevada. Ele precisa acumular 1.215 delegados para formalmente assegurar a indicação do partido à eleição presidencial dos Estados Unidos, o que pode ser atingido em março.

Próxima etapa

Após Nevada, a disputa do partido se volta para a primária da Carolina do Sul, Estado natal de Haley, em 24 de fevereiro. Trump continua popular no Estado conservador, mas Haley, que venceu duas eleições como governadora da Carolina do Sul, espera que suas raízes locais lhe deem vantagem.

Trump, fazendo um breve discurso de vitória em Las Vegas, se vangloriou com os relatos de longas filas no Estado de Nevada e disse aos seus apoiadores que estava ansioso para declarar vitória na próxima primária da Carolina do Sul. “Estamos liderando todos”, disse ele.

Os apoiadores de Trump esperaram em longas filas na quinta-feira Em um local de prévia em uma escola primária, uma fila de quase mil pessoas se estendia pela esquina e pela rua 20 minutos depois da abertura das prévias.

Eleitores na fila, alguns dos quais estavam usando bonés e camisetas de Trump, disseram que saíram para apoiar o ex-presidente em uma disputa que lhe daria uma terceira vitória consecutiva na corrida presidencial republicana.

“Eu acho que é sobre apoiar Trump e dar a ele o apoio de que ele precisa. E deixar as pessoas saberem que estamos apoiando ele”, disse Heather Kirkwood, 47.

Problemas legais

Os republicanos estão cada vez mais se unindo em torno de Trump enquanto ele enfrenta uma enxurrada de problemas legais, incluindo 91 acusações criminais em quatro casos separados.

Trump está exercendo sua influência tanto no Congresso – onde os republicanos rejeitaram um acordo de segurança na fronteira depois que ele se opôs a isso – quanto no Comitê Nacional Republicano, onde a presidente Ronna McDaniel poderá renunciar nas próximas semanas depois que ele questionou publicamente se ela deveria permanecer no cargo.

Trump ainda enfrenta um perigo sem precedentes para um grande candidato. Um painel de apelações federais decidiu esta semana que Trump pode ser julgado sob acusações de que ele conspirou para anular os resultados da eleição de 2020, rejeitando suas alegações de que ele está imune a processos judiciais.

A Suprema Corte dos EUA ouviu argumentos na quinta-feira em um caso que tenta impedir Trump de concorrer à presidência em 2024 por seus esforços para anular sua derrota na eleição de 2020. Os juízes pareceram amplamente céticos.