Sem Categoria

Prefeitura inicia obras de pavimentação de região que espera asfalto há mais de 30 anos

Durante a solenidade que marcou o início das obras de contenção de enchentes e erosão no bairro Cidade Morena e Jardim Novo Século, o prefeito Gilmar Olarte anunciou a última etapa de pavimentação do bairro, onde há mais de 30 anos a população residente na região próxima à Avenida Gury Marques, além da poeira e […]

Arquivo Publicado em 30/05/2014, às 20h20

None
1304029490.jpg

Durante a solenidade que marcou o início das obras de contenção de enchentes e erosão no bairro Cidade Morena e Jardim Novo Século, o prefeito Gilmar Olarte anunciou a última etapa de pavimentação do bairro, onde há mais de 30 anos a população residente na região próxima à Avenida Gury Marques, além da poeira e do barro, sofre com os alagamentos. “Vamos destinar parte dos R$ 35 milhões da segunda etapa do PAC da Requalificação das Vias Urbanas que conseguimos habilitar junto ao Ministério das Cidades, para completar a urbanização do bairro, resgatando uma dívida de três décadas do poder público com esta comunidade”, garantiu o prefeito.

Nesta etapa, serão investidos R$ 4 milhões em obras de controle de erosão, drenagem e pavimentação, mas os recursos não são suficientes para asfaltar todo o bairro. Estão programadas obras de drenagem nas ruas Campos do Jordão até a Israelândia; da Israelândia entre a Campos do Jordão e a Inconfidentes; Rua Ubirajara Guarani entre a Israelândia e a Cana Verde; Rua Jaguariúna entre a Floeral e a Ubirajara Guarani; Rua Buenópolis entre a Avenida Alto da Serra até a Rua Cana Verde; Travessa Gramados do seu início até a Rua Buenópolis; prolongamento da Rua Neferson Clair de Moraes, além da travessia da Avenida Gury Marques.

O ato que marcou o início das obras, realizado na esquinas das ruas Cana Verde e Buenópolis, foi prestigiado por lideranças comunitárias, além de vereadores. Muitos empresários estabelecidos na região foram conferir a chegada das máquinas e tubulações. “Foram tantas as promessas nos últimos anos que não acreditei muito quando falaram que as obras começariam nesta sexta-feira”, admite a dona de casa Marlei Chimatti . Residente há 30 anos na rua Ubirajara Guarani, ela, o marido e os filhos já perderam o número de vezes que passaram a noite em claro, com a casa alagada e mudando de lugar os móveis para não estragarem.

O servidor público Daniel Souza, residente na rua Buenópolis,mesmo sob sol forte do início da tarde, foi prestigiar o início dos serviços “Esta é uma reivindicação de décadas. Significa o fim dos alagamentos, que além de prejuízo aos moradores, praticamente impedia o acesso, nos dias chuvas, às empresas desta região”.

Execução

A expectativa dos técnicos da Seintrha é de que em cinco meses esta etapa das obras esteja concluída. Serão investidos aproximadamente R$ 4 milhões em obras de drenagem no Cidade Morena e controle da erosão na nascente do Córrego Gameleira, destino final da enxurrada que desce de toda a região das Moreninhas e Santa Felicidade.

“Esta é uma obra que não atende apenas a população das Moreninhas. É um projeto do interesse de Campo Grande, porque resolve os problemas de alagamento numa das principais vias de acesso da Capital, além de dar solução a um problema ambiental, uma voçoroca que coloca em risco um bairro inteiro, que é o Novo Século”, destaca o secretário de Infraestrutura, Transporte e Habitação, Semy Ferraz..

As obras de controle de enchente no Cidade Morena estavam emperradas há mais de dois anos porque a Caixa Econômica Federal exigia o controle da erosão na nascente do Córrego Gameleira que recebe toda a enxurrada que desce das Moreninhas e do Bairro Santa Felicidade. O temor dos técnicos d a Caixa é de que a drenagem no Cidade Morena (onde há pontos de alagamentos) agravasse a erosão no Gameleira. A Prefeitura foi, então, em busca da autorização da Caixa para usar o saldo de recursos do PAC Lagoa na implantação de uma represa de contenção que vai estabilizar o processo erosivo..

Jornal Midiamax