O MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) instaurou inquérito civil para apurar possíveis irregularidades no concurso público 001/2024 de Sonora, cidade 361 quilômetros distante de Campo Grande. O Município decidiu suspender o concurso.

Conforme a publicação no Diário Oficial do MPMS desta segunda-feira (22), serão apuradas possíveis irregularidades e favorecimentos no concurso público. A prova foi realizada pelo IPPEC (Instituto de Pesquisa, Pós-Graduação e Ensino de Cascavel), que é investigado por irregularidades em outro certame, no Paraná.

Com isso, o MPMS também recomendou a suspensão desse concurso, o que foi feito pela prefeitura. Segundo o prefeito Enelto Ramos (PP), o certame foi suspenso e a decisão oficial deve ser publicada no Diário Oficial.

Em nota, a Prefeitura de Sonora esclareceu que o concurso público 001/2024 foi suspenso após investigação contra a empresa organizadora vir à tona. A IPPEC chegou a cancelar outro concurso que ocorreria, para o cargo de procurador jurídico municipal, o 002/2024.

Investigação

A IPPEC é alvo de investigação por suspeita de irregularidades em um concurso público do Paraná, na cidade de Palmital. A prova ocorreria para contratação de profissionais de diversas áreas.

No entanto, o certame passou a ser investigado pelo MPPR (Ministério Público do Paraná), onde foi instaurado o inquérito civil. Isso, porque a empresa já seria investigada por problemas em outros processos seletivos.

O concurso foi suspenso em dezembro de 2023.

Prova em Sonora

O certame foi aplicado para cargos de nível fundamental, médio e superior, com salários que vão de R$ 1.26,92 a R$ 12 mil.

O concurso seria para vagas já existentes, em caráter efetivo. Entre as funções, estão os seguintes cargos: Agente de Combate a Endemias; Auxiliar de Serviços Gerais; Arquiteto; Assistente Social; Dentista; Contador; Enfermeiro; Médico; Procurador Jurídico e professor de Educação Básica – Educação Física, com carga horária que varia de acordo com a função, de 20h a 40h.