A Junta de Análise e Julgamento de Recursos de Transporte da (Agência de Regulação dos Serviços Municipais) pautou 14 processos contra o , para julgamento nesta quarta-feira (25), a partir das 11h30.

São infrações que as empresas que detêm o serviço em cometeram, como ausência de veículo articulado nas tabelas exigidas pela Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), descumprimento de horário de viagem e omissão de chegada em terminal.

Ainda há outras infrações, como falta de reserva nos terminais. A ausência de veículo articulado aparece em mais de um processo, bem como o descumprimento de horário de viagem, conforme estabelecido nas ordens de serviço por linha.

A completa pode ser conferida clicando aqui, a partir da página 14.

Relação tumultuada

O contrato entre a Prefeitura de Campo Grande e o Consórcio Guaicurus há anos tem conflitos, seja pela qualidade do serviço, questionada pela população diariamente, ou pela necessidade, alegada pelas empresas, de reajuste no passe de ônibus.

Atualmente, por exemplo, está pendente quanto a tarifa vai custar, medida que depende do município. Mas a Agereg já aprovou ata que estabelece passe entre R$ 4,65 e R$ 4,80.