O Hospital do Pênfigo será o primeiro a receber parte dos R$ 11,8 milhões enviados pelo à . O valor foi encaminhado ao município para complementar o pagamento do piso nacional da Enfermagem de quatro meses e pode cair na conta da instituição ainda nesta terça-feira (5).

Assim, a parcela vale para o pagamento de maio, junho, julho e agosto. O secretário municipal de Saúde, Sandro Benites, disse que “de todas as entidades que têm direito, a que pulou a frente foi o Hospital do Pênfigo, eles já assinaram e já entregaram na Sesau”.

O titular da pasta foi questionado pelo presidente da Comissão de Saúde, Victor Rocha (PP), durante encontro na de Campo Grande nesta terça-feira (5). Benites disse que “a Sesau nada mais é do que uma repassadora de valores”.

Segundo o secretário, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) se antecipou. “Foi feito um estudo desde maio para que a gente pudesse fazer um pagamento mais rápido”.

Pagamento em 24h

Então, garantiu que os pagamentos começam a cair a partir desta terça-feira (5). Questionado sobre quando começam os pagamentos, Benites afirmou que “a partir de hoje”.

“Ontem fizemos uma reunião com todos os hospitais”, disse ele. Representantes do São Julião, Santa Casa, Cândido e Pestalozzi foram até a Sesau na segunda-feira (4).

“ A partir do momento da assinatura por parte da representação legal do hospital, automaticamente, em menos de 24h a Sesau já vai repassar”, destacou o secretário. Ele reforçou que “de hoje para amanhã o Pênfigo já vai receber esse primeiro valor”.

Por fim, disse que a Sesau “espera que esses hospitais façam a entrega deste termo para que a gente possa efetuar o pagamento”.

Reunião tirou dúvidas

A reunião desta terça-feira (5) na Câmara de Campo Grande foi solicitada pela categoria, que tinha dúvidas sobre a complementação do piso nacional da Enfermagem, após aprovação de projeto de lei.

Entre os questionamentos, estava se aposentados poderão receber algum tipo de valor da complementação do piso. A chefe da Divisão de Enfermagem, Keith Ramos Ferreira, disse que “infelizmente o Ministério da Saúde não colocou nada para os aposentados”.

Segundo ela, a complementação será paga para o servidor ativo. Porém, os servidores que estão de licença também podem receber os valores.